quarta-feira, 4 de maio de 2011

AMERICANICES!!!

OS EUA fartam-se de dar tiros fora de tempo! Foi assim com Saddam Hussein: quando o Iraque estava mais que controlado, os EUA decidiram represaliar (se o termo não existe, inventei agora) o ataque 2 anos antes às Torres Gémeas. Resultado (até agora): a juntar aos 3 mil mortos naquele ataque, quase 900 mil mortos e muitos mais estropiados só no Iraque. Cheirava a petróleo e quando assim é os americanos não se conseguem conter, é mais forte que eles...
No caso da Líbia, idem, idem: quando Kadhaffi estava amansado (já tinham havido mais que razões para o derrubar anos atrás), os EUA e o Ocidente desatam a bater no homem, a matar-lhe os filhos e os netos, e a apoiar rebeldes que não têm qualquer organização para gerir um país enorme e riquíssimo. Cheira a petróleo... e do bom!
Agora, quando o monstro estava adormecido - ou, mais que provavelmente morto - os EUA vieram desencantar de novo o fantasma de Bin Laden, desta vez não para o perseguirem pelas intrincáveis montanhas afegãs, mas para o matarem de vez! Fora de tempo, como sempre! Cheira a eleições... e lá como cá, parece que os eleitores são facilmente sugestionáveis!

7 comentários:

argumentonio disse...

os infelizes bombardeamentos de civis são obviamente e sempre lamentáveis, inevitavelmente imputáveis a quem os perpetrou, mesmo se os acossados ditadores usam impiedosamente os civis e até a própria família como escudos humanos, aproveitando-se e forçando a confusão de alvos civis e militares

essa confusão premeditada de utilizar meios de guerra junto a instalações civis tem acontecido na Palestina, no Iraque, na Líbia... mas não foi isso que aconteceu em Nova Iorque, Londres, Madrid, Bali, Bombaim, Marraquexe: de facto, não havia lança-morteiros nos aviões, na torres gémeas, no metropolitano, nos autocarros, nos comboios, na discoteca, na esplanada, na varanda do hotel, no café, na esfuziante praça Jeema el-Fna - e convém dizer claro essa enorme diferença

mas todo o eleitorado, que é como quem diz, o povo, é sugestionável por definição, é da natureza humana

isso torna-se um problema apenas onde e quando há eleições, especificidade que não afecta propriamente Osama, Sadam e Kadafi

ao contrário, nós por cá temos até quem faça por repetir eleições pouco depois de as ter perdido, a ver se é desta que ficam no poleiro... quem paga a factura são os de sempre!

;_)))

Luís Coelho disse...

Lá como cá...está tudo dito que a cegueira de poder é muito forte.
Agora voltar-se-ão para a Líbia...

Vais pagá-las todas ...uma por uma...

Filoxera disse...

O Ser Humano em todo o seu esplendor...
:-(
Beijos.

Diário de um Anjo disse...

Eu só acho que mataram agora o Bin laden porque têm a quem vender as armas, o kadafhi

lino disse...

O que mais me choca são as festas, regozijos e felicitações pela morte de um homem, mesmo que seja o maior crápula.
Abraço

Joana disse...

Infelizmente os americanos acham-se os donos do mundo e ainda invocam Deus para sua protecção. Enfim...

Maria João disse...

Sinceramente, tudo isto me deixa triste.
Embora tenha morrido o simbolo, não morreu a monstruosidade que ele representava e mesmo assim festejam.
Morreu um homem e isso, em situação alguma é motivo para festejar. Mas festejam.
Dizem ter-se feito justiça. A justiça ( Há alguma justiça em matar alguém que também matou? ), está longe de ser feita. Se dúvidas houver, basta comparar o número de mortes provocadas por acções terroristas, com o número de pessoas que perderam a vida no decurso de acções fundamentadas no combate ao terrorismo.
Depois.... depois Alexandre, acho que andam há muito a contar-nos uma estória e que, sem nos darmos conta, andamos completamente manietados. Aceditamos no que querem que acreditemos e manipulam as nossas opiniões, as nossas vontades e as nossas atitudes, em função de interesses préviamente planeados.
Sei lá... tudo isto me deixa triste!

Um beijinho