sábado, 29 de outubro de 2016

MUDA A HORA MUDA O TEMPO EM CONTRATEMPO


Muda a hora
muda o tempo
muda o tom
em contratempo
muda a hora
muda o espaço
muda o som
e o compasso,
muda a hora
muda o dia
muda o dom
e a magia,
muda a hora
muda o mês
muda tudo
outra vez,
muda a hora
e a vontade,
o calendário
e... a idade!
Muda tudo
tudo muda
só não muda
o que vivi,
muda tudo
tudo muda
menos o que
sinto por ti!

(jag)

domingo, 10 de julho de 2016

A JOGADA DA VITÓRIA



Vamos lá, Rui Patrício, 
faz de vencer um vício,
mete a bola já no Pepe
para ele fazer a ponte
e passá-la ao José Fonte
e mais rápido que um clic
adiantá-la para o Cedric,
mas olha ali o Guerreiro, 
como corre no terreiro
toca já para o Moutinho
que está ao centro sozinho
olha que o Wiliam está ali
mas passa antes ao Nani
e a jogada não manches
passa já ao Renato Sanches
que está com muita pressa
mas é o João Mário de cabeça
que adianta para o Quaresma 
a jogada é sempre a mesma
ele corre junto à linha
domina a redondinha
e centra lá para o centro
salta mais alto o Ronaldo
e a bola está lá... dentro
é a cereja no bolo, 
É GOLO, É GOLO, É GOLO!!!

(jag)

sábado, 23 de abril de 2016

DIA MUNDIAL DO LIVRO E 400 ANOS SOBRE AS MORTES DE CERVANTES E SHAKESPEARE

Hoje é DIA MUNDIAL DO LIVRO e, por coincidência, hoje passam 400 anos sobre as mortes de MIGUEL DE CERVANTES e de WILLIAM SHAKESPEARE, e eu precisaria de muito espaço no Blog para falar de todos os livros, autores e personagens de livros que são importantes para mim... e até podia começar pelo 'Dom Quixote de La Mancha'...



































quinta-feira, 14 de abril de 2016

O FADO DO CAFÉ
















O FADO DO CAFÉ

Café, café, café
este é o fado do café
bebo café em cada esquina 
não passo sem cafeína


Café, café, café,
de manhã até à noite
bebo bica, cimbalino
café tem sabor divino


Café, café, café
com ou sem açúcar
café ajuda a acordar 
e o tempo a passar


E se for bebido a dois
o café ganha depois 
estatuto de segredo
pois se bebido a sós
quem o bebe perde a voz
e vai dormir mais cedo


O café é maravilha
se bebido em partilha
faz ver tudo colorido
mas se se beber demais
faz ver coisas virtuais
e até tolda o sentido


De café não abdico
e por ele adjudico
uma chávena e um pires
seja curto ou seja cheio
pelo café eu anseio 
por isso não te admires


Mais importante que café
bebido sentado ou de pé
é poder ser teu abrigo
e eu troco se for preciso
o café por um sorriso
para ficar sempre contigo

(jag)

domingo, 10 de abril de 2016

PELA SERRA É QUE VAMOS...












A minha homenagem a Sebastião da Gama, o 'Poeta da Arrábida'
PELA SERRA É QUE VAMOS...
Pela Serra é que vamos
Arrábida, Serra Mãe,
e é claro que chegamos
ao melhor que a Serra tem.

E se vamos pela Arrábida,
no meio de verde mistério,
é porque a Serra é ávida
de ser o nosso hemisfério.


Pelo Mar da Serra vemos
o seu tom de azul segredo,
é na Serra que fazemos
de cada sonho um enredo.


Pela Serra é que fomos,
por vereda indefinida,
é na Serra que compomos
a melodia da Vida.
(jag)
Na foto uma junção do Sebastião da Gama real (nos anos 40 do século XX) e uma réplica do professor, poeta e defensor da Arrábida feita por Mafalda, Directora do Museu Oceanográfico.

Sebastião da Gama, o primeiro ambientalista português, nasceu há 92 anos

Sebastião da Gama faria hoje 92 anos, se fosse vivo. Considerado o precursor dos movimentos ambientalistas em Portugal, o 'Poeta da Arrábida', como também ficou conhecido, esteve na origem da Liga para a Protecção da Natureza (LPN), em 1948, a primeira associação ecologista portuguesa, a qual seria depois a génese de outras associações, como a Quercus.

Defensor acérrimo da Serra da Arrábida (viveu parte da sua curta vida na Estalagem dos pais, no Portinho da Arrábida, edifício que é hoje o Museu Oceanográfico), escreveu vários livros dedicados à "Serra- Mãe". Morreu precocemente aos 27 anos, vítima de tuberculose, mas a obra que deixou levam a considerá-lo uma personalidade ao nível de Fernando Pessoa, se tivesse vivido mais anos.




sábado, 2 de abril de 2016

PORTUGAL AINDA VAI A CAMINHO DO SOCIALISMO?
















Nos 40 anos da Constituição de 1976...

... PORTUGAL AINDA VAI A CAMINHO DO SOCIALISMO?

Acho que Portugal perdeu o GPS e nem sabe ler mapas em papel... o Socialismo ficou por aí perdido nalguma gaveta, e o fundamental continua por cumprir: Educação e Saúde gratuitas para todos, para dar só dois exemplos. A Educação continua a ser um negócio e da Saúde então nem se fala. Se em hospitais privados a pessoa já faz um check-in como nos aeroportos, e é chamada quase antes de se registar, porque não adoptar esse modelo e essa tecnologia no público? Todos os portugueses o merecem, e não só os políticos e os privilegiados. Quanto à Justiça, é o que se sabe: quem rouba muito, tem dinheiro para pagar cauções, quem rouba pouco não tem quaisquer benesses. A caminho de Socialismo ou Capitalismo, chamem-lhe o que quiserem, o fundamental é que se cumpra a Constituição de 1976 em todos os seus Artigos e Alíneas. Tenho dito... mas ainda hei-de dizer mais!

(jag)

sexta-feira, 1 de abril de 2016

NO DIA DAS MENTIRAS SERÁ VERDADE QUE EXISTIMOS MESMO?



Existir será verdade? Existimos mesmo? Fisicamente? É verdade que nos tocamos e nos olhamos mas será que estamos mesmo a ver e a sentir  o que à partida julgamos palpável? Pois, filosofias à parte, eu não sei se existimos mesmo ou se seremos hologramas ou projecções a partir da mente de alguém... ou de algo... de algo que pode também não existir, ser uma projecção de outra qualquer entidade que existirá ou não. Porque o fundamental é saber se existimos assim como somos, ou como julgamos ser, criaturas desajeitadas ou entidades moldadas à semelhança de alguém perfeito. Ninguém que exista mesmo jamais provocaria ou contribuiria para atitudes só ao nível de quem não existe... O mundo pode não ser mais que um minúsculo elemento de um átomo que compõe uma qualquer matéria numa outra dimensão, e essa dimensão ser uma minúscula de outra dimensão e assim sucessivamente, até percebermos que não existimos mesmo e que somos apenas imaginação na mente de alguém que se calhar também não tem mente e também não existe... Existimos mesmo? Em dia das mentiras, na verdade acho que não...
(jag)

domingo, 27 de março de 2016

MUDA A HORA TUDO MUDA A HORA MUDA



Muda a hora
muda o tempo
muda o tom
em contratempo
muda a hora
muda o espaço
muda o som
e o compasso,
muda a hora
muda o dia
muda o dom
e a magia,
muda a hora
muda o mês
muda tudo
outra vez,
muda a hora
e a vontade,
o calendário
e... a idade!
Muda tudo
tudo muda
só não muda
o que vivi,
muda tudo
tudo muda
menos o que
sinto por ti!

(jag)

terça-feira, 22 de março de 2016

"A ÁGUA NÃO SE NEGA A NINGUÉM"... muito menos no Dia Mundial da Água















"A água não se nega a ninguém" era uma expressão que eu ouvia amiúde da boca da minha mãe quando eu era miúdo de andar pela mão dela. Essa frase era testada, por assim dizer, quando eu e a minha irmã mais velha saíamos com ela e ao fim de um bocado já a estávamos a chatear e a pedinchar água. Na altura acho que nem havia garrafas de plástico e ninguém se lembrava de andar com um cantil. 
O "mãe, tenho sede" acabava por aparecer, ou de mim, ou da minha irmã, ou dos dois. Então, a minha mãe procurava um café ou uma pastelaria (locais onde as mulheres praticavam não entravam na altura), e ao balcão pedia um ou dois copos de água. Raramente à água se juntava um queque ou um bolo de arroz, e se sim, era dividido pelos dois. Não me lembro de alguma vez lhe ter sido negado um copo de água, mesmo sem consumir. E nós bebíamos a água de um fôlego, conscientes de que "a água não se nega a ninguém".

(jag)

sábado, 19 de março de 2016

Parabéns ao HERMAN... apesar de ele não ir com a minha cara...


Sempre fui admirador do trabalho de Herman José. Desde a primeira hora, se calhar ainda antes de Nicolau Breyner o ter lançado. E sempre acompanhei ao longo dos anos a sua progressão profissional. Em 2007, no programa de TV 'Grandes Portugueses', ficou em 70º lugar entre os 100 portugueses mais influentes de sempre. Eu colocá-lo-ia num lugar muito mais cimeiro, em virtude da influência que ele teve na comunicação e na sociedade portuguesa a partir do terceiro quarto do século XX. E isto apesar de uns anos antes o meu primeiro contacto com Herman José não ter sido o mais profícuo: estava eu no Expresso e no meu gabinete, entre outras coisas, elaborávamos revistas sobre os Dias da Mãe ou do Pai. 

Como Herman faz anos no Dia do Pai, lembrei-me de lhe pedir uma entrevista, pois incluíamos sempre figuras públicas nessas revistas (já tínhamos incluído Miguel Angelo, Margarida Rebelo Pinto ou António Sala, entre outros). A colaboração por parte das figuras públicas seria através de uma entrevista ou de um texto enviado pelo convidado. Até esse ano nunca ninguém se tinha negado às minhas solicitações. 

O meu primeiro contacto com Herman José foi telefónico. Ele foi lacónico e disse-me que respondia por e-mail. Nessa noite chegou a resposta... negativa. E argumentava Herman José (na altura estava na SIC, a mesma empresa do Expresso) que não colaborava "graciosamente" com o Expresso porque o jornal não fazia menção aos seus restaurantes e bares (num dos quais - Alcântara Café, se bem me lembro - emergia como cozinheiro o meu amigo Vítor Sobral). Contudo, sugeriu que eu contactasse outros aniversariantes de 19 de Março: Io Apoloni ou Jorge Pêgo.

Depois desse episódio, fotografei-o algumas vezes mas nunca me identifiquei, até lhe ser apresentado mais recentemente no lançamento de uma biografia sobre ele próprio (ver fotos, inclusive com a mãe), mas a memória dele não deve ter relacionado. E pronto, o que desejo ao Herman é muitos parabéns pelo aniversário e que ainda guarde muita coisa para nos oferecer no futuro, apesar de saber que os tempos são outros.
(jag) 



DIA DO PAI ou DIA DO FILHO? ... por MIGUEL ANGELO (dos Delfins)















Um texto que pedi há uns anos ao MIGUEL ANGELO (dos Delfins) e que continua actual:
'Os filhos pertencem aos pais? Puro engano. Não, não falo só da "Geração Mimada" em todo o seu esplendor... O altruísmo? O altruísmo não é para aqui chamado, não tem nada a ver com niilismo! Mas os filhos pertencem mesmo aos pais, ou se quiserem, às mães? Desde quando?

Tá bem, falemos dos pais, Dia do Pai, tema de conversa escrita e apenas unívoca (azar o vosso!). Eu não possuo nenhum filho, mas tenho dois. Tenho para mim (odeio esta expressão!) que os óvulos, depois de fecundados, alcançam como fetos uma autonomia que (ainda) não lhes é consagrada na lei, no Direito que tanto escreve por linhas tortas. Mas o que é que interessa um depoimento ateu pró-vida quando se fala do dia do pai? O que é que interessa? O tema aqui é o amor, o contrário do egoísmo!
Consta que ainda existem alguns americanos (do interior), dispostos a dar a vida pela Pátria. A minha Pátria não é a minha língua (frase mal interpretada até hoje do Pessoa), mas sim os meus filhos. Por eles cesso de existir. Só por eles, entre todos os laços que apertei e desapertei até hoje. Dia do pai ou Dia do Mártir?
Ser pai é ir mais longe, num círculo viciado que é a vida. Ser pai é ser cruel, ao dar a vida e a dúvida existencial da salvação a uma nova criatura. Ser pai é demais, gostoso, como diz um amigo meu do outro lado do Atlântico. Ser pai é tudo. "Tudo o mais". Não há nada que o possa compensar.
Os pais pertencem aos filhos? Que certeza.... Somos todos filhos, alguns pais, logo são os filhos que têm a maioria! Não me venham falar de direito capeão, de decisões adulta sobre o direito à vida de quem, inimitável, só ainda não saiu pr'á rua. Somos todos filhos de alguém. Sem paternalismos.
Era bom que amanhã todos fôssemos possíveis melhores pais.'
(Miguel Angelo)

A LUA HOJE TEM A COR DO BARRO...


domingo, 13 de março de 2016

sábado, 12 de março de 2016

terça-feira, 8 de março de 2016

MULHER TOTAL... NO DIA DA MULHER E TODOS OS DIAS
















MULHER TOTAL
Mulher mulher
Mulher e mãe
Mulher e filha
Mulher amante
Mulher carreira
Mulher esperança
Que nunca se cansa!
Mulher batida
Mulher violada
Mulher sentida
Mas depois erguida
E nunca calada!
Mulher betão
Mulher pilar
De uma construção
Que nunca desaba
Mulher que acaba
E que recomeça
No dia seguinte
Mulher sofrida
Que mesmo sozinha
Vale por vinte!
Mulher ternura
Mulher cristal
Mulher romance
Mulher bonita
Mulher ideal
Ou mulher normal
Mas sempre, sempre
MULHER TOTAL!!!
(jag)

quinta-feira, 3 de março de 2016

DIA INTERNACIONAL DA VIDA SELVAGEM


Porque o que é selvagem é genuíno


O Dia Internacional da Vida Selvagem celebra-se a 3 de Março. O objectivo deste dia criado em 2013 pela ONU é celebrar a fauna e a flora do planeta, assim como alertar para os perigos do tráfico de espécies selvagens animais. Foi escolhido o dia 3 de março para esta efeméride já que foi neste dia, em 1973, que se verificou a CITES - Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção.

O tema do Dia Internacional da Vida Selvagem de 2016 é "O futuro da vida selvagem está em nossas mãos", com destaque para a protecção do elefante africano e asiático. Em 2015 o tema foi o combate ao crime organizado. De acordo com a ONU, o tráfico de animais e a caça valem até 213 mil milhões de dólares por ano.
Este dia tenta relembrar o contributo das plantas e dos animais selvagens para o desenvolvimento sustentável e para o bem-estar em geral da humanidade, além dos perigos diários que a vida selvagem corre em diversas frentes. Sendo que a vida selvagem é fundamental para o equilíbrio e para o ambiente na Terra.
Ainda segundo os dados da ONU temos: 20.000 a 25.000 elefantes mortos anualmente em África; 100.000 elefantes africanos mortos de 2010 e 2012; 1.215 rinocerontes mortos em 2014 na África do Sul; 220 número de chimpanzés mortos em 2014; 1 milhão de pangolins retirados do seu habitat em dez anos.




quarta-feira, 2 de março de 2016

terça-feira, 1 de março de 2016

A TSF - A RÁDIO QUE TANTO VAI AO FIM DA RUA COMO AO FIM DO MUNDO - COMEMOROU 28 ANOS HOJE...


... e eu sou ouvinte da TSF desde a primeira hora, talvez porque por essa altura estava a entrar verdadeiramente no jornalismo como profissão, talvez porque o João Paulo Baltazar tinha sido meu colega e fez uma  reportagem sobre o incêndio do Chiado que ficou como antologia da rádio em Portugal, ou talvez porque o ritmo de noticiários de meia em meia hora (apesar das muitas repetições) demonstrava (e demonstra) uma dinâmica informativa bem diferente de tudo o que se tinha feito até aí. Em especial quando ainda só havia uma televisão e o Telejornal na televisão, por exemplo, era quase todo alinhado no dia anterior.

A rádio acompanhou-me desde muito pequeno: a minha avó paterna tinha um rádio enorme a pilhas (que hoje está comigo) que a acompanhava para todo o lado, em casa dos meus pais havia um rádio a válvulas, mais tarde (quando avariou) substituído por uns radiozinhos de pilhas, onde ouvia muita música e sobretudo os relatos de futebol.

Foi a rádio que me "avisou" da manhã do 25 de Abril: tomando o pequeno-almoço com a minha mãe antes de ir para a escola, estranhei que a rádio (Emissora Nacional - agora Antena 1) só transmitisse marchas militares, interrompidas por comunicados, os quais na altura não percebia bem o alcance.

No princípio dos anos 80, e nos muitos dias em que acompanhei a minha mãe para ela cuidar da minha avó materna, foi uma aparelhagem que me fez companhia. Nessa altura eram "As noites longas do FM Estereo" (do António Santos) e o "Oceano Pacífico", com a vantagem que agora podia gravar cassetes pois o rádio tinha (finalmente) gravador. Ainda hoje tenho essas cassetes todas, em especial as que gravava de rádios espanholas (nas Galveias apanhava-se facilmente excelentes rádios espanholas - ainda hoje trauteio algumas dessas músicas).

Também passei pela rádio, apesar de não ter grande voz para isso: foi na Rádio Pal, de Palmela, no tempo das rádios piratas, e por lá estive de 1986 a 1988, se bem me lembro. E onde me cruzei com alguns daqueles que viriam a ser vultos da rádio, como Paula Santos (embora na altura na Rádio Azul, agora editora da SIC), Ana Marques (animadora da SIC) ou José Milheiro (jornalista da TSF).

Mais tarde conheci pessoalmente grandes nomes da rádio, como António Sala, António Santos, Luís Filipe Barros ou Paulino Coelho. Em casa, e felizmente, onde tenho o computador não tenho TV, por isso é a rádio que está sempre ligada. Neste momento está ligada, claro, acabaram os relatos de futebol e a TSF faz 28 anos. Mas nem seriam precisos esses acontecimentos para ela estar ligada. Para mim, todos os dias são DIAS DA RÁDIO.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

A ANDORINHA QUE ESCREVINHA EM PARÁGRAFO ALINHAVADO...


ANDORINHA, andorinha,
regressou do outro lado,
e no seu voo sublinha
quanto ele é abençoado
pois com o voar apadrinha
sempre com todo o cuidado
como quem escrevinha
em parágrafo alinhavado
que a Primavera caminha
num caminho adequado
seguindo uma estrelinha
que brilha por todo o lado.
(jag)



ILUMINANDO A NOITE...















Ilumina-me a noite
com infinitas luzes
se houver quem s' afoite
por onde conduzes
o teu nocturno brilho
então eu seguirei 
sempre neste trilho
em direcção à luz
e comigo levarei 
melodia que compus 
para te entregar 
ao ver a noite cair 
e o teu olhar brilhar.



sábado, 27 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

SEREMOS TODOS NEANDERTAIS?















Quando ouvirem alguém a chamar alguém de 'Neandertal', saibam que quem chama pode ter razão. Parece que há por aí muitos genes neandertais misturados com os reconhecidamente humanos. Mas, afinal, quem seria mais humano? A verdade é que os neandertais até eram superiores ao homem em muita coisa. Por exemplo, a mulher tinha um papel fundamental na sociedade neandertal e não era subalternizada como na sociedade dos humanos. O ciclo menstrual da mulher neandertal (28 dias, ciclo da Lua) estava na base dos 13 meses em que dividiram o tempo. 

Eram místicos, adoravam a Lua Cheia e simbolizaram a aranha num símbolo semelhante à cruz suástica. Eram dados a símbolos e labirintos, em virtude com certeza do seu enorme cerebelo, parte do cérebro mais dado às coisas da magia e do misticismo. A prová-lo está a "flauta" (um fémur de urso com furinhos regulares, em escala diatónica) encontrada há 20 anos na zona que é agora a Eslovénia. Também tinham algum cuidado com a saúde, o que ficou provado pelas ervas medicinais encontradas nalguns fósseis.

Pelas descobertas divulgadas nos últimos dias, os neandertais (dados como extintos há 29 mil anos) e os homo sapiens (o homem de hoje) ter-se-iam envolvido sexualmente durante alguns milhares de anos, originando descendência abundante que terá chegado aos dias de hoje. Portanto, muitos de nós teremos com certeza muitos genes neandertais, o que, pessoalmente, até acho que não é mau, afinal eles pareciam ser bastante criativos e pelo menos respeitavam as mulheres, o que muitos dos humanos ao longo da história e hoje ainda não fazem.

A partir de agora se me chamarem "seu neandertal" quando estiver no meio do trânsito já não vou ficar chateado. Antes ser um neandertal inteligente que um homo sapiens burro. E se a mulher da imagem era a miss neandertal na altura até não está mal, apesar de não ser o meu tipo.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

LUA E VÉNUS E LUA


TALVEZ AQUI M' ENCONTREM...

Porque os lugares são aquilo que deles fazemos...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

HOJE É DIA DO PENSAMENTO: POR ISSO NUNCA SE ESQUEÇAM DE... AGIR!


Pensa que pensa
e volta a pensar,
pela minha experiência
pensar é penar,
por isso não penses
e deixa fluir,
porque se pensares 
não chegas a ir
e quando acordares
não sabes sorrir!

Pensa que pensa
e volta a pensar,
segue a minha crença 
e deixa-te andar,
o que for há-de ser
e às vezes melhor,
se não pensares vais ver
que vais encontrar
um grande, grande Amor!

(jag)

sábado, 20 de fevereiro de 2016

A CONVERSA PERFEITA PARA UMA NOITE DE SÁBADO...


RITUAL DE SÁBADO



É Sábado, é Sábado 
não há despertador, que bom,
oito e  meia é boa hora
para colocar na TV o som
e ouvir as primeiras notícias, 
ora bolas, c'um caneco
morreu mesmo Umberto Eco, 
a rosa ficou sem nome...
mas eu acordei com fome, 
banho mais acelerado 
e depois cereais especiais.
A seguir o café matinal
e as gordas dos jornais.

Depois vem a mercearia,
comprar cenouras, batatas,
quiçá, um abre-latas,
para a lata de feijão,
não esquecer de ir ao pão
alentejano mal cozido
o Sol está sumido
mas não está muito frio
talvez um pouco de vento
ver se vou fazer fotos
ali embaixo, à maré
há por lá umas aves
grandes e raras até.

E depois do almocito
vou bater uma soneca
nestas coisas não hesito
até porque logo à tarde
há lançamento de livro
exposições de pintura
conferências e palestras,
mas a ver se me livro
de algumas coisas destas
não chego a todo o lado
isto de andar a correr
ao Sábado não dá
se for uma caminhada
ainda vá que não vá.

À noite deve haver futebol
Benfica, Sporting ou Porto, 
já estou a ver isto torto
por causa da arbitragem...
xiii, e agora me lembrei, 
que fiz à chave da garagem?
Tenho lá a minha viola
para tocar uma serenata
Mas que cabeça a minha, 
mas olha que se lixe
se a lógica é uma batata
nem me vou preocupar
afinal hoje é um dia fixe,
É Sábado, 'bora celebrar!

COM A MORTE DE UMBERTO ECO É UM PEDAÇO DE MIM QUE SE VAI TAMBÉM...














Com a morte de UMBERTO ECO é um pedaço de mim que se vai também. Desde  "Como se faz uma tese", passando pelo "Pêndulo de Foucault" a "Em Nome da Rosa", há muitos anos que Umberto Eco estava presente nas minhas leituras, em especial aquela que deu origem a um dos filmes da minha vida, "Em Nome da Rosa" (na foto).

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

JÁ UNS PAIS NÃO PODEM IR GANHAR O SUSTENTO NUM CASINO... HÁ LOGO UM FILHO QUE CAI DE UM 21º ANDAR















Era improvável! Era extremamente improvável que uma criança de cinco anos sozinha numa casa acordasse a meio da noite, chamasse pelos pais e, não os encontrando, os fosse procurar em algum lugar. Não conseguindo abrir a porta da rua, era também muito improvável que abrisse uma janela e mais improvável ainda que essa janela ficasse num 21º andar e a criança, quiçá ensonada e em pânico, se debruçasse à janela e... o resto já se sabe!

Para aqueles pais - talvez encharcados em Vistos Gold - tudo isto era extremamente improvável! Até porque eles tinham saído à noite para ganhar o sustento da família, quem sabe até conseguir um pequeno montante para pagar a uma baby-sitter.

Estes pobres pais devem estar destroçados. Acredito que sim! O que lhes aconteceu não se deseja a ninguém. Coitados, terem que trabalhar de noite e verem-se obrigados a deixar a filha pequena sozinha em casa. Tenho pena deles, tenho muita pena deles, especialmente porque parece que estavam a ganhar umas massas no Casino e tiveram que deixar o jogo e sair antes de tempo. Que chatice! 

Ninguém, mas mesmo ninguém deveria ser interrompido quando está a ganhar no Casino. Nem mesmo quando um filho cai de uma janela de um 21º andar no prédio mais luxuoso de Lisboa. Os polícias que os foram importunar deveriam levar com um processo disciplinar por interferirem nas "horas de sorte" do casal chinês!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

O que mais me admira é haver tão poucas mães a suicidarem-se com os filhos...















Mães que se matam com os filhos ou que matam os filhos começam a ser casos cada vez mais frequentes. Dantes noutros países, agora também em Portugal. E com estas tragédias surge um vasto campo para determinadas pessoas - algumas com muitas responsabilidades nestas coisas - debitarem palavreado e encenarem cenários, passe o pleonasmo...

Longe de ser psicólogo, é bom de notar que muitas mães conservam com os filhos o cordão umbilical que os ligava. Talvez por isso as mães que se suicidam com os filhos não sejam assim tão criminosas como a sociedade e a comunidade rapidamente as acusam. 

Não há muitas notícias de pais que se suicidem com os filhos. Um pai não tem culpa de não ter um cordão umbilical mas pode ter outros cordões... e muitas vezes deveria tê-los, até porque se os tivesse provavelmente não aconteceriam estas tragédias de mães suicidas.

Onde há uma mãe, há um pai, e lá por vivermos numa sociedade machista, e neste caso concreto, não se deve ilibar alguém que apesar de estar ausente do crime pode ter responsabilidade moral.

As relações entre as pessoas não são o que eram até há poucas décadas. Muito menos nas cidades grandes. As pessoas perderam a identidade familiar e de comunidade. É uma expressão comum dizer isso, eu sei, mas é verdade. E sem o elo familiar e comunitário, as pessoas acabam por fragilizar e ligar-se a outras pessoas que se revelam (por vezes depressa demais) que não são as melhores companhias. E tudo se agrava quando as relações erradas produzem seres que não têm culpa nenhuma de serem depositados no centro de questiúnculas de irremediável resolução.

Estranho é sentir que determinadas causas provocam invariavelmente determinados efeitos. E quem já não se apercebeu que na presença de uma relação entre duas pessoas há algo ali que não funciona... ou que não vai funcionar por muito tempo. E o tempo acaba por dar razão: às vezes com ligeireza, mas a maior parte das vezes com violência, a qual pode chegar aos extremos que cada vez são mais frequentes na comunicação social, e, infelizmente, na vida das pessoas...

... por isso nisto tudo, o que mais me admira é haver tão poucas mães a suicidarem-se com os filhos...