quinta-feira, 22 de março de 2012

DIA DA POESIA - IREI DE MADRUGADA

IREI DE MADRUGADA
Quando o Sol romper
Por sobre as montanhas,
E se estender
Pelos campos orvalhados.

Irei de madrugada
Para sentir o aroma
Dos rumores silvestres,
E das velas soprando
Ao sabor das brisas.

Irei de madrugada
Para ouvir o silêncio
Dos sons abreviados
E o soar dos sinos
Anunciando os tempos.

Irei de madrugada
Para contar os passos
Que ficam marcados
Em forma de névoa
Na areia da praia.

Irei de madrugada
Antes do Sol aquecer
O trilho onde sigo,
Irei de madrugada
Só para te ver...
E ficar contigo!

8 comentários:

Diário de um Anjo disse...

de madrugada ainda é muito frio para ir a praia:)

beijinhos

Mulher disse...

Bela homenagem ao dia da poesia.
Muito bonito.
Bjinho

BRANCAMAR disse...

Feliz e poético dia da poesia.

Muito lindo o teu poema.
É no amanhecer que a vida desponta assim, tal como a cantas nos teus versos.

Beijinhos

sofialisboa disse...

olá estas bom? voltei, ainda a medo de começar...gostei das tuas palavras mas a musica não...tive que por silencio, pois a musica nada tinha haver com as palavras hihihi pelo menos para mim. bjs sofia

lino disse...

Bonito poema!
Abraço

tulipa disse...

MUITO OBRIGADO PELAS TUAS SIMPÁTICAS PALAVRAS:
As imagens perfeitas para o Dia Mundial da Água porque a importância da água não vem de agora mas de tempos ancestrais.
Parabéns pela reportagem e pelo texto!

mas...
era para veres o outro post "anterior" a esse do
DIA MUNDIAL DA ÁGUA
também sobre Miróbriga!...

para que saibas que adorei aquele SÁBADO - todo o programa
desde Miróbriga
até à inauguração da exposição.

Um dia EXCELENTE graças a TI.
Beijos

Marta disse...

O tempo que não conta...
Porque o nascer do Sol é o silêncio com que se aprecia a beleza...
Belo....
Beijos e abraços
Marta

Momentos Inesquecíveis disse...

Aqui não dá para por um like!!!
Adorei o poema, transmite-nos imensas sensações.
Beijinho
Isabel Marques