sábado, 23 de julho de 2011

AMÁLIA FAZ HOJE 91 ANOS E CONTINUA VIVINHA DA SILVA!

AMÁLIA... quis Deus, ou alguém, que se fosse o seu nome. E foi! Mas esteve muito perto de ser Amélia, como ela própria confessa num poema dedicado a Amélia Rey Colaço. E se fosse Amélia teria o nome da minha avó paterna. Aliás, eu não consigo pensar numa sem pensar na outra... apenas a voz da minha avó ficou calada entre paredes caiadas, embora ainda hoje eu a ouça! E a minha avó também escrevia versos (deixou dezenas de cadernos manuscritos), tal como Amália, embora muita gente pense que Amália era básica e que se limitava a cantar aquilo que os outros escreviam. Nada disso, ela foi uma poetisa talentosa e tinha um gosto muito apurado, ainda antes de começar a cantar (o que foi um grande risco na altura) os poetas portugueses consagrados.
Nunca fotografei Amália e muita pena tenho disso. O mais perto que estive dela foi nas traseiras da sua casa aí uma semana antes de ela viajar (o que aconteceu em 6 de Outubro de 1999). Chamámos por ela mas quem respondeu da varanda foi o seu papagaio, o qual fotografei mas ainda não encontrei o negativo (sim, na altura era tudo em negativos e papel!).
Tenho dezenas de CDs da Amália, alguns vinis, mas um dos presentes de que mais gostei foi este livro de poemas que me ofereceram há poucos anos pelo meu aniversário. É um dos meus livros permanentes de cabeceira.
Das canções dela é difícil destacar uma, muitas vezes dou por mim a trautear esta ou aquela (ah, não tenham receio, só no carro quando vou sozinho ou no elevador quando sei que não há ninguém no prédio!). Arriscaria... 'Sem Razão', porque quase tudo na minha vida é... Sem Razão!


Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que a recebi

É meu e vosso este fado
Destino que nos amarra
Por mais que seja negado
Às cordas de uma guitarra

Sempre que se ouve um gemido
De uma guitarra a cantar
Fica-se logo perdido
Com vontade de chorar

E pareceria ternura
Se eu me deixasse embalar
Era maior a amargura
Menos triste o meu cantar

AMÁLIA SEMPRE AMÁLIA


9 comentários:

Joana disse...

Eu também acho que ela vai viver sempre. :)

Beijinhos

。♥ Smareis ♥。 disse...

Acredito que vai continuar sempre viva em todos os coração de quem a amava.Um Abraço e ótimo fim de semana.

Luís Coelho disse...

Amália tem a força da alma portuguesa e não será esquecida em qualquer parte do nosso tempo.

As letras e as músicas bem como o seu timbre de voz entra-nos na alma e faz-nos cantar e chorar com ela.

Marta disse...

E, é verdade - ouve-se uma guitarra e fica-se logo com vontade de chorar....
Cantemos, pois com Amália hoje e sempre....
Bom texto...
Beijos e abraços
Marta

Filoxera disse...

Tão vivinha que te fez voltar ao Sofá ;-)
Beijos.

Maria João disse...

Uma voz singular, numa mulher muito peculiar cuja vida se prolonga para além da físicalidade. Ela é estandarte português e orgulho de todos nós que a traremos para sempre no coração e na memória.

Beijinhos

lino disse...

Sejas bem regressado. A Amália está sempre viva.
Abraço

tulipa disse...

SABIAM...

SABIAM QUE...

O PRÍNCIPE WILLIAM
E SUA KATE também foram
AO CINEMA VER ESTE FILME...???

Cerca de três meses depois do casamento, o príncipe William e a mulher mantêm o romantismo com saídas a dois.
Depois de uma semana e meia dedicada a atos oficiais - durante a visita ao Canada e aos Estados Unidos - os duques de Cambridge aproveitaram o regresso a casa para namorar.
No passado sábado, o jovem casal desfrutou de uma ida ao cinema, para assistir à comédia A Melhor Despedida de Solteira (Bridesmaids).

A sua presença não passou despercebida e depressa começaram a surgir comentários no Twitter.
"O meu amigo da universidade viu o príncipe William e Kate Middleton no cinema perto de minha casa", escreveu uma das testemunhas.

Ana disse...

Eu arrepio-me toda quando ouço a Amália, grande voz e grande exemplo de vida, uma grande mulher...
beijinhos