sábado, 24 de setembro de 2011

SEMPRE QUE QUISERMOS É PÔR-DO-SOL


Sempre que quisermos é Pôr-do-Sol
quer o Sol se ponha no horizonte
quer ele se esconda por trás do monte
espalhe os seus reflexos pelo mar
ou tão só se estenda como lençol
sempre que quisermos é Pôr-do-Sol
e nas margens do vento ao murmurar
sinfonias douradas em tom bemol
julgamos ouvir cantos de encantar
quais gaivotas em tons de rouxinol
sempre que quisermos é Pôr-do-Sol
é ele que traz quem aqui deve estar
e se largamos no rio este anzol
é porque na ponta vamos encontrar
quem na vida é o nosso farol!

10 comentários:

Luís Coelho disse...

Maravilhoso este poema.
Não entrou todo uma primeira vez. Reli e voltei a ler.
Este pôr-do-sol é encantador. Será sempre onde estivermos e com quem quisermos.
Será um pôr-do-Sol com quem deve ser.

Marta disse...

Há sempre uma sinfonia quando tal pôr-do-sol mergulha em nós....
Lindo....
BEIJOS
Marta

OUTONO disse...

...encantador!

Joana disse...

Gostei. :D

Beijinhos

lino disse...

Um espectáculo de pôr-do-sol!
Abraço

Maria João disse...

Quando o Sol de esconde na linha do horizonte, um ciclo termina no mesmo segundo em que outro recomeça. E nós também, sempre que quisermos.

Um abraço

tulipa disse...

É tempo de SOL ainda...

excelente escolha
Parabéns
Obrigado pela partilha

apesar dos pesares
vale sempre a pena
sair, viajar
ausentar-me
...por tudo...
pela lufada de ar fresco
pela brisa de outras paragens

daí...
vem
vem ver com os teus olhos
mais imagens da minha viagem
...
clica nas imagens
para veres em tamanho grande
tens logo outra visão...

aguardo a tua opinião

uma boa semana
um beijinho meu

elvira carvalho disse...

Um lindo poema. Pena que andamos todos tão preocupados que já não vemos o pôr do sol em frente do nariz, quanto mais por trás dos montes.
Um abraço

Se eu pudesse... disse...

Da foto ao poema.. adoro tudo :)

Justine disse...

Um pôr-de-sol para não esquecer - em imagem e em palavras:-))