quarta-feira, 4 de novembro de 2009

DUAS LÁGRIMAS DE ORVALHO...

No próximo Sábado vou ver e ouvir de novo um dos meus ídolos da música e da canção, Carlos do Carmo! 'Duas lágrimas de orvalho' é uma das suas canções mais bonitas... quer dizer, é difícil distinguir músicas melhores que outras porque são todas boas. As 'lágrimas' da foto não são de orvalho, são de chuva, mas em breve trarei aqui as genuínas... a voz também é a da Mariza e não a original.


Duas lágrimas de orvalho Por amor damos a alma
Caíram nas minhas mãos Damos corpo damos tudo
Quando te afaguei o rosto Até cansarmos na jornada
Pobre de mim pouco valho Mas quando a vida se acaba
Para te acudir na desgraça O que era amor é saudade
Para te valer no desgosto E a vida já não é nada

Porque choras não me dizes Se estás a tempo recua
Não é preciso dizê-lo Amordaça o coração
Não dizes eu adivinho Mata o passado e sorri
Os amantes infelizes  Mas se não estás continua
Deveriam ter coragem Disse-me isto minha mãe
Para mudar de caminho Ao ver-me chorar por ti.

6 comentários:

Filoxera disse...

Que bom!
Diverte-te!

Maria João disse...

Intemporal é a voz que canta este poema... posso ouvi-lo noutras vozes que é sempre a de Carlos do Carmo que sinto cá dentro.... estranho? Talvez não!
Acrescentaria outros tantos poemas, por ele e outros cantados, mas fico-me pelo " No teu poema". Igualmente belo...

Um abraço e bom espectáculo

tulipa disse...

A questão é esta: este mês de Novembro de 2009 também vou de férias e vou ficar alojada neste Hotel. A minha pergunta é:
Alguém faz uma ideia para onde vou de férias?


Desafio-te!!!
eheheheheh...risos

Ana disse...

Olá!
Gostei muito!
Bjs

Carlos Albuquerque disse...

Carlos do Carmo.
Único no panorama da música e da canção portuguesas. Não só do fado.
Ouço-o, amiúde, cantar José Carlos Ary dos Santos - "Era a tarde mais longa de todas as tardes...", "Os putos"...
Carlos do Carmo, sempre!
Um abraço!

Cristina disse...

Que inveja...também queria ir!!

Beijocas