domingo, 15 de novembro de 2009

No DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DA ESTRADA fiz algo mais interessante do que andar de carro...

... Pois é, deixei o carro em casa e deambulei a pé pela Serra de São Luís na Arrábida. Tendo por companhia boa... companhia, paisagens deslumbrantes, uma quase-chuva que cai-não caiu e toda uma atmosfera que só lá estando para perceber. Na foto de cima ao longe é o Atlântico que se confunde com o céu... Numa das fotos de Baixo não são os Açores, não senhor, e aquilo também não são vaquinhas mas sim cabrinhas - o maior rebanho de cabras que eu já vi... até pensava que já não havia rebanhos de cabras! Névoa, contrastes de verdes e de outras cores e medronhos e medronheiros também nos acompanharam o caminho todo.

Bom, e como hoje é o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada - e como eu faço uma média de 4000 km por mês pelas estradas de Portugal - acho que estou habilitado a opinar sobre estas coisas e a dizer que em Portugal há pouquíssimos acidentes! Mas mesmo poucos! Não é nada do que se diz para aí, que morrem não sei quantas pessoas em acidentes e tal... da maneira como nestas minhas andanças eu vejo como se conduz só posso dizer que há muito poucos acidentes. A relação criminosos da estrada/mortos na estrada é realmente muito baixa! Só pode ser milagre não haver mais acidentes e morrerem mais pessoas... é que uma percentagem dos portugueses transformam-se (não, acho que mostram aquilo que são) em potenciais assassinos quando têm uma coisa redonda nas mãos e um pequeno rectângulo debaixo do pé direito...

(clicar nas fotos para as ampliar
se as quiserem ver com mais pormenor)

10 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Agora é que tocou no ponto ... na verdade é um milagre haver tão poucos acidentes e a taxa até estar a descer. A melhoria geral das estradas contribuiu mas de resto só mesmo com mais educação ...

gimbras.nofuturo.com disse...

Boas fotos... e verdades!

Ezul disse...

Que coincidência! Nesse dia também fui fotografar medronhos. Parei o carro, saí e fui, por um breve momento, à procura de uma outra memória mais serena...

Maria, Simplesmente disse...

Alex, eu não tenho carro, mas já tive dois acidentes e há mais ou menos dois meses ia tendo outro, sempre com família ao meu lado, felizmente sem consequência de maior.
No entanto, para mim, não há dúvida que nem todos os acidentes provocam a morte, mas esses não são os piores, pois quem morre descansa. Os piores, que tu talvez não conheças, são aqueles que ficam com incapacidades profundas homens e mulheres com uma vida feliz e que, de um momento para o outro se encontram, conscientes até, e incapacitados para o resto da sua vida. São esses que nos doem, porque o sofrimento deles é muito grande. Dependentes daqueles que, por vezes, lhes chegam ao pé para os ajudar, não conseguindo já esconder a impaciência, porque querem viver e eles... já não interessam.
Isto Alex é pior que os mortos.
Tem sempre cuidado contigo e com os outros que podes encontrar...
Bj
Maria

Jorge Carvalho disse...

Logo ontem e hoje e lá por ter caído uma chuvinha registou-se um dos piores dias do ano em termos de acidentes, número de mortos e de feridos. Não sei o que é que boa parte dos automobilistas portugueses pensam da vida deles e da vida dos outros. Mais vale dar umas voltas a pé ou de bicicleta pelas serras e pelos campos realmente.

Um abraço. Jorge Carvalho

Maria João disse...

Partilho da ideia de grande parte dos automobilistas passar andar a pé. Individuos que acham que possuem o dominio de um automóvel e assim imaginam o dominio do mundo.. gente perigosa, verdadeiros psicopatas encartados para o crime!

O meu pensamento vai para todos aqueles que perderam a oportunidade de continuar a viver por se terem cruzado com alguém com estas caracteristicas e para as suas famílias que têm de viver com essa dor.

Um abraço para si

Mulher disse...

Olá
Concordo, com alguns comentarios tb, mas não totalmente.E bastará pensar!
ACIDENTES!Nunca se explica exactamente o que é um acidente.
Bom dia bjinho pó sofá.

Justine disse...

Excelente modo de comemorar o dia, e trabalhar para a saúde - pessoal e do planeta!!

Diário de um Anjo disse...

Adoro medronhosssssss!
É pena que não haja a venda na cidade..senão não me importava de apanhar uma bebedeira deles

Isabel Magalhães disse...

Vim dos caminhos da blogosfera e gostei de ter passado por cá.






Também tenho a Arrábida no coração.

I.