sábado, 9 de janeiro de 2010

Lobby Gay pressionou José Sócrates para a urgência da aprovação dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo

Como se sabe, o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovado ontem pela A.R., colocando assim Portugal entre os 9 países que no mundo permitem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. De fora ficou a adopção de crianças por parte desses sujeitos fiscais... Sim, sujeitos fiscais, pois não considero que o casamento seja mais que isso em Portugal e em grande parte do mundo.
Concebo - e acredito - na união de duas pessoas que tenham a mesma filosofia de vida, sonhos e projectos em comum, cujos olhares se cruzem na maré alta das almas, que no fundo tenham um pelo outro aquela coisa que até hoje ninguém conseguiu explicar direito, que é o facto de se sentirem (muito) bem na companhia um do outro, de se procurarem mutuamente mesmo sem saberem bem porquê, de encherem o cérebro com a imagem e os gestos um do outro... e isso não tem a ver com géneros sexuais nem com modas nem com tendências, muito menos com 'valores' impostos por religiões ou por estados! É assim, e tudo o resto é conversa fiada...  
(as fotos são da autoria e da responsabilidade d' 
O Meu Sofá Amarelo)



13 comentários:

Graça disse...

... "e tudo o resto é conversa fiada"... pois.


Um beijo para o teu domingo.

Joana disse...

Penso tal e qual como tu. :)

Beijocas

Paula Raposo disse...

O importante é o amor. Não interessa o sexo. Beijos.

▒▓█► JOTA ◄█▓▒ disse...

ººº
Concordo em absoluto.

Abraço e BOM ANO com tudo o que mais anseias.

PS - Agr. teu comentário no "Incongruências" (muito bom)

Maria João disse...

Confesso que durante estes longos dias em que, sistematicamente, o assunto foi debatido em tudo o que é veículo de comunicação social, o cansaço do tema, tomou conta de mim.
É que desde o inicio tudo me pareceu, tal como a ti, muito claro e perfeitamente esclarecido . Mas há muita gente para quem, tudo isto, ainda faz confusão e eu até entendo, nasceram e cresceram , acreditando e assumindo a vida de determinada maneira e para eles não será fácil, começar a pensar de forma diferente. Mudar socialmente a forma de pensar sobre as coisas, leva o seu tempo, as posições nem sempre são consensuais e às vezes temos de ouvir muita conversa fiada…

Beijinhos

Carlos Albuquerque disse...

Há dias, em comentário no teu blog, manifestei o meu desacordo à prioridade dada à discussão e aprovação (garantida à partida por uma maioria parlamentar) da Lei sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Ouvi e li muitas explicações, incluindo as do PM. Não me convenceram da urgência. A lei foi aprovado, restando agora saber o que fará o PR. Veto? Tribunal Constitucional?
Apesar de não estar de acordo com a prioridade, aplaudo a aprovação da lei. Sempre fui a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo e contra a homofobia. Como contra sou, igualmente, a discriminação racial ou religiosa.
Antes, durante e até mesmo depois da aprovação da lei, atazanaram-nos os ouvidos com muita conversa fiada (para utilizar a tua correcta expressão), vinda das vozes da vontade que estabelece os muros que ainda tentam defender o passado, como diria Agostinho da Silva.
Posto isto.
Talvez eu tenha percebido mal, mas fiquei sem entender porque chamas ao casamento "sujeitos fiscais". Casados ou solteiros, viúvos ou divorciados, unidos ou separados sem registo, homo, hetero ou trans, não somos todos "sujeitos fiscais"?
De acordo com o que dizes (concebes e acreditas) sobre a união de duas pessoas. Mas, neste caso, não são elas também "sujeitos fiscais"?
Grande abraço!!!

mulher disse...

Muito incompleto ainda, a meu ver!!!Que será melhor? crianças abandonadas e maltratadas, ou criadas com amor por estes casais?
A mim pouco importa que sejam mulheres ou homens, interessa me sim que tenham amor e um lar tranquilo.Tudo bem explicado se entende.!!!!
Bom domingo.

Gata Verde disse...

Sejam felizes!!!
;)

hiltom disse...

Cada um com as suas opções, mas todos com direito à felicidade que todos merecemos.
b f s

Fernando Vasconcelos disse...

O amor entre adultos - mutuo e desejado - nunca é problema. É para mim também óbvio que todas as pessoas devem poder escolher com quem querem partilhar a vida independentemente do sexo respectivo. O estado é laico e deve proporcionar a todos o mesmo direito legal de materializar essa união sobretudo se ela não afectar de forma nenhuma a liberdade dos restantes como é o caso. Quem quer, quer quem não quer paciência, não queira - está no seu direito também. Não é obrigado a assistir , a ver ou até a concordar. Conforme é dito em comentário anterior creio que ainda subsiste uma injustiça. Estou longe - muito longe - de concordar que adopção resulte em mais potenciais problemas para as crianças adoptadas do que em qualquer outro caso. E digo tudo isto sendo (declaração de interesse) heterossexual católico e praticante mas obviamente discordando em absoluto com a posição da minha igreja quanto a este assunto como aliás em muitos outros).

Ezul disse...

Que bom seria se a sociedade tivesse o dom de se comover com a capacidade das pessoas para gostarem umas das outras, reprovando, isso sim, os actos que verdadeiramente atentam contra a dignidade humana: a corrupção, o desemprego, a pobreza…

Meg disse...

A mim, francamente, o que me incomoda não são os homossexuais, que conheço alguns e com uniões bem de muitos anos, mas a FEIRA que se fez e faz à volta deste assunto.
A quem interessa?
Para que serve?
Tirem a política destes assuntos, que têm muito em que pensar.
A legalização parece-me óbvia, mas o "circo" NÃO!

Um abraço

Bichodeconta disse...

POIS!Faltam-me argumentos .Cada um faça a vida a seu geito sem prejudicar o próximo.Dizem os entendidos que se casamento fosse coisa boa, não precisava de testemunhas, de certaforma concordo..Aliás acho que há erros que só se cometem uma vez na vida.Já fui casada sem amor, agora vivo com amor, e não me parece que um papel assinado mudasse algo neste sentimento.Se pensarem em assuntos burocráticos, de dinheiros, de sucessões, etc etc, então aí o problema não é só o amor, é também um interesse , e aí................ POIS.. Seja feita a vontade de cada um..Sem que para tal tenham de perjudicar quem quer que seja..De repente veio-me á ideia os familiares, mas ............Pois, Casem e sejam felizes para sempre..Bjs, Ell