sábado, 19 de março de 2011

HOJE É DIA DO... FILHO!

Os filhos pertencem aos pais? Puro engano. Não, não falo só da "Geração Mimada" em todo o seu esplendor... O altruísmo? O altruísmo não é para aqui chamado, não tem nada a ver com niilismo! Mas os filhos pertencem mesmo aos pais, ou se quiserem, às mães? Desde quando?
Tá bem, falemos dos pais, Dia do Pai, tema de conversa escrita e apenas unívoca (azar o vosso!). Eu não possuo nenhum filho, mas tenho dois. Tenho para mim (odeio esta expressão!) que os óvulos, depois de fecundados, alcançam como fetos uma autonomia que (ainda) não lhes é consagrada na lei, no Direito que tanto escreve por linhas tortas. Mas o que é que interessa um depoimento ateu pró-vida quando se fala do dia do pai? O que é que interessa? O tema aqui é o amor, o contrário do egoísmo!
Consta que ainda existem alguns americanos (do interior), dispostos a dar a vida pela Pátria. A minha Pátria não é a minha língua (frase mal interpretada até hoje do Pessoa), mas sim os meus filhos. Por eles cesso de existir. Só por eles, entre todos os laços que apertei e desapertei até hoje. Dia do pai ou Dia do Mártir?
Ser pai é ir mais longe, num círculo viciado que é a vida. Ser pai é ser cruel, ao dar a vida e a dúvida existencial da salvação a uma nova criatura. Ser pai é demais, gostoso, como diz um amigo meu do outro lado do Atlântico. Ser pai é tudo. "Tudo o mais". Não há nada que o possa compensar.
Os pais pertencem aos filhos? Que certeza.... Somos todos filhos, alguns pais, logo são os filhos que têm a maioria! Não me venham falar de direito capeão, de decisões adulta sobre o direito à vida de quem, inimitável, só ainda não saiu pr'á rua. Somos todos filhos de alguém. Sem paternalismos.
Era bom que amanhã todos fôssemos possíveis melhores pais.

Miguel Angelo (Delfins)
Para O Meu Sofá Amarelo

6 comentários:

JPG disse...

Quem escreve assim...

Papoila - BF disse...

Todos melhores pais e também melhores filhos. Eu tenho pena de ter perdido o meu exactamente num dia 19 de Março....

Um beijo a todos :)

lino disse...

Folguei ler, no fim, que o texto não é teu.
Abraço

Justine disse...

A subterrânea, indissolúvel relação!
Gostei de ouvir o Cat Stevens:)))

Graça Pires disse...

Felizes os que ainda têm pai...
Beijos.

Ana disse...

Muito bom, adorei!!
Beijinhos