sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O PAULO fechou as PORTAS e desapareceu!

Ele era um indivíduo aventureiro, charmoso, galã, bem falante, sempre afável e disponível! Mas, de um momento para o outro desapareceu. Chamava-se - aliás, ainda se chama - Paulo! Sim, Paulo... e deve ter fechado uma série de portas pois não responde aos e-mails, muito menos aos sms (esperem um pouco, vou ver se chegou o relatório do sms que enviei ontem, dia do aniversário dele)...
... Pois, já fui ver e o sms ainda está pendente! O Paulo desapareceu mesmo! Ele, que andava sempre por aí, de um momento para o outro sumiu, eclipsou-se, deu de frosques, bateu com as portas e as janelas e pirou-se mesmo! Que se terá passado com o Paulo, com o meu grande amigo Paulo, que já teve direito a posts nalguns blogues meus anteriormente.
Companheiro de aventuras há uma vintena de anos atrás, quando palmilhávamos os terrenos acidentados das serras do Louro e da Arrábida por entre moinhos de velas paradas e rochedos que escondiam grutas com morcegos e almas do outro mundo.
Agora o Paulo desapareceu e ninguém sabe dele!
A última vez que foi visto andava na companhia de uma moça brasileira e um dia confessou-me ao telemóvel que estava a pensar seriamente em ir até ao Brasil, embora eu saiba que ele tinha por cá um grande amor (quase) impossível... O Paulo fechou as portas e deve ter feito o mesmo caminho que Pedro Álvares Cabral há 509 anos, embora com motivações diferentes pois não creio que o meu amigo Paulo fosse movido pelas especiarias...
Este Paulo não se chama Portas. Também não interessa o apelido. O que importa é que apesar dele ter desaparecido sem dizer água vai não é por isso que fico chateado! E espero mesmo que ela esteja bem onde estiver. Já agora, se alguém souber o paradeiro dele liguem-me aqui para o blog... ou enviem-me um sms... ou mandem-me um bilhete dentro de uma garrafa...

1 comentário:

Ana Sofia Serrano disse...

Olá!
Talvez tenha ído conhecer o Brasil! Espero que volte, porque uma amizade de tantos anos é sempre uma pena desperdiçar-se dessa maneira!
Beijo