domingo, 5 de setembro de 2010

FESTA DO ÀVANTE: (muito) CONVÍVIO, (muita) CERVEJA e POLÍTICA, q.b.!

Aí está o pessoal numa merecida pausa na luta (dura) por Abril

Jerónimo de Sousa discursou a seguir a José Casanova e conseguiu agarrar a multidão... até porque os problemas são de todos!

Alguém anda a enr... o Povo! E não se pode dizer que o PCP não chame a atenção para isso! Quanto à menina dos piercings (e não só!), realmente parece que só lhe falta espetar também a foice e o martelo na cabeça!

A placa diz 'Portugal a produzir' mas o pessoal prefere 'produzir' de outra maneira! E fazem eles bem, para moles já bastam os ovos!

A Festa do Àvante é também sinónimo de liberdade e desinibição... que o digam os muitos pares de namorados que aproveitaram (e bem) a ocasião!

Sinais do Séc. XXI, nem a Festa do Àvante consegue escapar a símbolos capitalistas: multibanco, Pepsi, telemóvel e tabaco Malboro... já agora, as tatuagens não sei de onde vieram, mas temo que sejam de origem capitalista também, pois cheiram-me a tortura...

Se a Festa não vai ao Alqueva, o Alqueva vem à Festa. Quem se importa se a barragem está cheia e por aproveitar? O importante é mergulhar nas ondas da Festa!

Rock da pesada, muito pesada, tão pesada que nem se percebia o que diziam... mas a Festa é multifacetada e este parecia o pessoal do mercúrio (não é o mercúrio que é um metal bué pesado?)

À primeira vista até parecia outra coisa, mas não: o calor e o ambiente descontraído convidavam ao desnudar dos corpos e das mentes... e como "Não há Festa como esta" agora só para o ano.

Até lá!!!


17 comentários:

dida disse...

Haja sentido de humor, uma vez que festa parece não ter faltado e para todos os gostos.

São disse...

É impressão minha ou a festa comunista por excelência está a ter uns certos laivos burgueses?

Boa semana.

Ah, gostei de ouvir a canção ao meu mês de anicersário.

Mulher disse...

Todos nós evoluimos, ao longo dos tempos!
Mesmo com tudo isso acho que continua a ser a melhor festa do ano!
Nunca me deu para ir, mas acredito pelo que vejo e ouço aos entendidos de todas as cores.
Bjinhos

O Puma disse...

Parece que gostou

do convívio

na diferença

sem complexos nem tabus

Apareça sempre

Lia disse...

Hehehe ,o que querias tu ?!

Todo o pessoal junto do palco de punho erguido e cravo na mão...festa é festa e os festivais servem para conviver...também tinhas lá especialidades bem servidas e podias comprar livros e discos (coisas raras)só espero que tenhas aproveitado o momento porque só volta acontecer para o ano!
;0)

Beijos e sorrisos Sofá*

Justine disse...

Como todos os anos, esta também foi uma grande festa! Para o ano encontramo-nos por lá, está bem?

lino disse...

Excelentes imagens e textos.
Abraço

N. Martins disse...

Nos últimos anos não tenho faltado à Festa do Avante. Os três dias são extenuantes e todos os anos penso: para o ano faço uma pausa e não venho. No entanto, no último dia, quando a Carvalhesa começa a tocar, sinto uma nostalgia, há qualquer coisa naquele momento (e não só, claro) que me faz voltar todos os anos. É uma festa especial, de liberdade, de convívio entre gerações e de tolerância. Este ano, e no anterior também, senti a Festa com menos personalidade, não sei se das pessoas que começam a frequentar aquilo como se frequenta um Festival de Verão, ou se foi da falta de política que referes. :) E para o ano conto lá estarei, porque não há mesmo festa como o Avante. ;)

Joana disse...

Excelente repostagem. Não estive lá, mas foi como se estivesse.

Beijinhos

Ana disse...

Olá!
Gostei muito da foto-reportagem!
E, infelizmente para os comunistas, a festa do avante é cada vez mais um festival de verão e apenas isso (ah, e mais barato!, o que é bom)
Beijinhos

Alexandre Espanhol disse...

Desculpa-me dizer isto mas para mim o avante não presta! O pessoal depois quer mais e não tem, estou triste!

Pekenina disse...

Beijinho para ti!

Apeteceu-me :)

Vieira Calado disse...

A luta continua!

pin gente disse...

pois gostei muita da reportagem... sofazinho!

um abraço

Fernando Vasconcelos disse...

Houve anos em que esta festa era em termos de cartaz um verdadeiro acontecimento musical ... agora os tempos são outros, não forçosamente piores desse ponto de vista mas certamente mais virados para revelações (ou não ... :-)). Não deixa de se saudar obviamente como acontecimento cultural que é.

Filoxera disse...

Não fui. Com muita pena minha...
:-(
Beijos.

Anónimo disse...

É a MELHOR festa do país !
Um evento para ser tratado com todo o respeito e para ser vivido por quem sabe o que tudo aquilo significa !
A luta continua , sempre !