segunda-feira, 7 de junho de 2010

PORTUGAL: DA SELECÇÃO DE FUTEBOL AO FOLCLORE PORTUGUÊS NA CHINA


Para mim o maior acontecimento nos últimos dias não foi a partida da Selecção de Futebol porque a festa da despedida foi um exagero mediático, nomeadamente televisivo (o que eu quero ver mesmo é a chegada!).
Mais interessante foi a recepção dos sul-africanos (portugueses, descendentes de portugueses e outros) à Selecção, isso sim, motivo de notícia de abertura de telejornais!
Mas ainda mais importante foi algo que passou despercebido nas TVs: o entusiasmo que o folclore português despertou em Xangai, na China, aos milhares de chineses, e não só, que vibraram com as concertinas, com os outros sons, com o colorido, com a dinâmica de um grupo de folclore minhoto! 
É caso para dizer que os estrangeiros vibram com algo genuinamente português e de que os portugueses têm... vergonha! Os citadinos portugueses olham para o folclore como uma cultura menor, pirosa e em decadência! Pobres de espírito são aqueles que não sabem nem nada fazem para preservar a genuidade e genialidade dos verdadeiros portugueses! Ou será que os irlandeses que cantam as suas canções tradicionais nos bares são pirosos? E os jovens espanhóis que dançam e cantam o flamenco nas ruas serão pimbas? Acho que não!  

Fotos do Sofá Amarelo feitas num Congresso internacional sobre Construção Sustentável em Vilamoura, onde os congressistas estrangeiros - nem um único português! - se misturaram com os elementos do Rancho Folclórico.

11 comentários:

Joana disse...

O nosso país tem uma cultura riquíssima. Isso está bem patente nos monumentos nacionais e também na diversidade e riqueza do nosso folclore assim como nos diversos trajes típicos do país. Já repararam que, contrariamente aos outros paises, que têm um traje tipico, nós temos um traje típico por província? Temos um país pequeno com uma diversidade muito grande mas os estrangeiros é que lhe dão valor e importância. Nós achamos piroso e preferimos tudo o que vem dos estrangeiro. Somos o nosso próprio inimigo. Infelizmente.

Beijinhos

lino disse...

O nosso folclore é riquíssimo, mas o Pedro Homem de Melo não deixou sucessor na tarefa da respectiva divulgação, na televisão e em festivais, cá e por esse mundo fora.
Abraço

Maria, Simplesmente disse...

Ainda bem que temos "folclore" para exportar para a China, assim tal como a Tailândia fez com os nossos tapetes de Arraiolos, (e os principais culpados não foram eles), eles ganharão boa "massa" com CDs de música portuguesa cantada em chinês que exportarão para nós.
Os tapetes de Arraiolos, e tu deves saber quanto custa o metro quadrado e o trabalho que dá, existem aos montes em supermercados, feitos na Tailândia, porque esteve cá um grupo tailandez, numa muito conceituada "Fundação" a aprender a fazê-los, e depois são exportados para Portugal (ainda sabes onde fica este País...?), que lhes cedeu desenhos e lãs que depois foram substtuídas por fibras, e vendidos em supermercados e lojas de baixo preço.
Só quem conhece bem as lãs e a técnica é que sabe destinguir os verdadeiros dos falsos.
E fomos nós (portugueses) que lhes ensinamos esta vigarice.
Agora não faltarão músicas do nosso folclor cantadas em chinês.
Aplaudo esta ideia, assim custa menos vender o País...!
Cada vez me sinto mais distante.
Diverte-te com as tuas reportagens, mas pensa bem, não aplaudas antes de pensar.
Maria (com todas as letras...)

Maria João disse...

Tenho o privilégio de viver perto das gentes que, admiram, preservam e ensinam esse valor cultural enorme que é o folclore. Digo privilégio, porque esse é apenas um dos motivos pelos quais me sinto mais perto dos saberes genuínos, partilhados de geração em geração e que fazem parte da nossa história e da nossa cultura. Singelezas de um povo, do qual só temos motivos para nos orgulharmos. É pena que assim não aconteça.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E além do folclore, também adoram o fado ( tal como os japoneses) e pastéis de nata, que os portugueses introduziram via Macau.

Violeta disse...

Não aprecio o folclore mas reconheço a sua importância e não o desprezo.

jefhcardoso disse...

Muito legal essa postagem; vim aqui através do blog da Rosa Carioca, que é minha amiga de blog.
Sabe, eu, como neto de português que sou, acho que você está coberta por razão, pois se um povo não trás consigo o seu folclore acaba esquecendo de quem é na verdade.

Abraço e prazer em conhecer!

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com ao seu dispor.

GarçaReal disse...

Sentei-me no teu "sofá amarelo"...

Realmente que exgero no apoio a uma selecção ( que espero duvidosa) que dê algo...

Afinal há coisas boas , mas que este país esquece ou ignora.

Por vezes penso que vivemos no "inverso"

Bom resto de semana

Bjgrande do lago

argumentonio disse...

tanto saiote e não haviam os chinocas de embicar os olhos...

;_)))

consta-se que Xangai é espectacular!

Ezul disse...

Ooops! Não gosto de folclore mas defendo que esse conhecimento seja preservado. E também não gosto nada de futebol!... Ah, mas gosto muito, muito de ouvir o Pedro Barroso, de vir até aqui para sentir o mar, para ver o lindo focinhito do Tito...
:)))

José Sousa disse...

Fiquei deslumbrado não só com seu blog, como também pelas suas postages, maravilha! Gostei e irei continuar a vir aqui!
Conheça os meus em:
www.congulolundo.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um abração do tamanho do mundo.