terça-feira, 27 de outubro de 2009

60 ANOS DEPOIS DA MORTE DE CARLOS QUEIROZ (O POETA, NÃO O TREINADOR)...


... A SUA POESIA CONTINUA ACTUALÍSSIMA!





Ficam estas versões de um dos seus poemas mais conhecidos
(aqui por João Villaret e por Joana Amendoeira)
- CANÇÃO GRATA -
divulgado sobretudo pela magia de Teresa Silva Carvalho
e pela voz única de Carlos do Carmo.

Por tudo o que me deste:
– Inquietação, cuidado,
(Um pouco de ternura? É
certo, mas tão pouco!)
Noites de insónia, pelas ruas, como um louco...
– Obrigado! Obrigado!

Por aquela tão doce e tão breve ilusão.
(Embora nunca mais, depois que a vi desf
eita,
Eu volte a ser quem fui), sem ironia: aceita
A minha gratidão!

Que bem me faz,
agora, o mal que me fizeste!
– Mais forte, mais sereno, e livre, e descuidado...
Sem ironia, amor: – Obrigado, obrigado

Por tudo o que me deste!

Ver também:
Nothing And All

Seria bom que alguns dos nossos vultos literários não fossem apenas nome de rua... ainda por cima sem explicação de quem é o 'arruado'...

3 comentários:

gimbras.nofuturo.com disse...

Nem conhecia.

mariabesuga disse...

"Somos" descuidados com o que e quem temos de valor e depois "queixamo-nos" de que somos nada...

Há muitos poetas de que a generelidade das pessoas nunca ouviu falar e nem sua culpa. Não se lhes apresentam... não procuram porque só o que sai em parangonas de grandes destaques há-de ter importância...

Pois eu tenho para mim e do que conheço de nomes de hoje e dos que já foram mas deixaram obra, em ambos os casos sem que sejam "grandes nomes" são grandes no sentido de expressar pela palavra os sentidos do que lhes vai na alma grande.

Gosto particularmente de descobrir trabalhos desconhecidos do grande público. São cheios de alma normalmente mesmo que não sejam grandes estórias.

Beijinho Alexandre.
Sempre atento!...

Lia disse...

Interessante este teu post!
Beijo*