segunda-feira, 19 de outubro de 2009

CONVERSAS COMIGO MESMO

Quando falo comigo mesmo
Gosto de dizer o que penso
E ao pensar, sonho imenso,
Desfolho páginas do tempo
Que escrevi em folhas brancas,
Falo de mim para mim,
Viajo nas velas do vento,
E quando chego por fim
Ao meu cais do pensamento
Revejo os caminhos
Por onde vou navegar
Pelas ondas do sentimento
E ao sabor do teu olhar...
Pois quando falo comigo
E pinto prioridades,
Digo em definitivo
Que a primeira é estar contigo,
A segunda são saudades,
Tudo o resto é supletivo!



Tropecei nesta música de Juan Pardo - Conversaciones conmigo mismo - que eu não ouvia há muitos anos e deu-me para fazer um esboço de poema e... conversar comigo mesmo...



13 comentários:

continuando assim... disse...

e assim falamos sempre a verdade ... só dentro de nós :)

Bichodeconta disse...

Alex mas que delícia, chegar aqui, olhos ainda na penumbra e assim, este poema que me leva a pensar também.Comigo e contigo.. A pensar há quanto tempo te acompanho nas escritas que melhoram a cada dia, e digo melhoram, não que ache mal, mas porque acho que nunca atingimos a perfeição da palavra, do traço de pincel ou até como seres humanos.. No entanto gosto do teu geito sereno, sem pedidos ou exigencias para que te vão ler, para que comentem e muito menos com prémios para os que te perseguirem.Genuinamente, és tu a escrever para ti e para quem te quizer ler. Numa entrega sem desafios ou obrigações. Gosto muito deste espaço, é notório, e gosto da pessoa que conheci e espero voltar a abraçar. Lindo o poema.Comcordo que tudo o resto é supletivo.Um abraço e o desejo de uma boa semana.. Ell

Paula Raposo disse...

Gostei desta conversa...beijos.

gimbras.nofuturo.com disse...

Também converso muito com moi même. :D

Ana Sofia Serrano disse...

Olá!
E faz tão bem conversarmos connosco próprios!
Beijinhos

Vieira Calado disse...

Boa!

E está com um ritmo muito certo e apropriado.

Cumprimentos meus

tulipa disse...

Estou tão agradecida pelas tuas palavras no meu blog, a solidariedade em momentos sempre tristes.
Muito obrigado.

TAMBÉM EU GOSTO MUITO DE FALAR COMIGO MESMA.

Criei um novo género de post, uma ideia que tive, aproveitar as minhas muitas fotos, são centenas e juntá-las a uma poesia, onde exista uma palavra que tenha a ver com a minha foto.
Queres espreitar esta nova ideia?
Espero por ti.
Aguardo a tua opinião.

Beijo e abraços.
Boa semana.

Chris disse...

Com o tempo desfolhamos cada vez mais páginas do tempo... pois só o Amor não é supletivo.
Parabéns pelo texto-poema.
Um abraço
Chris

argumentonio disse...

vez em quando pomos as conversas em dia ;->>>

mariabesuga disse...

Do lado de dentro do tempo deixamos a espaços a constância dos dias que em nós, também do lado de dentro, se constroem de sentidos...

Do lado de dentro do tempo edificas palavras que em ti, também do lado de dentro, encostam ao espaço de serenidade em que se te fazem os dias...

Do lado de dentro do tempo e de ti que (parece-me, porque não te conheço?!?!?!...) te alimentas das razões que te dá o próprio tempo para dares contra razões à existência.

Um beijinho, Alexandre.
Dias felizes nas rondas do tempo, dos tempos que somos...

Maria Clarinda disse...

E por vezes bem necessário é...o poema ficou lindo!!!
Jhs cuore

Marta disse...

Todos nós deviamos conversar com o nosso eu interior...
Meditar, suspirar....chorar ou rir...
Boa escolha, Alex....Obrigada pela visita e pelos comentários

Beijos e abraços
Marta

Lia disse...

Puxa ,

pensava que era só eu..!:D)
Beijo e um sorriso*