sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O Meu Sofá Amarelo também tem PROPOSTA DE ORÇAMENTO 2011 para apresentar...


O Meu Sofá Amarelo - à semelhança do Governo de José Sócrates - também vai apresentar uma proposta de orçamento para 2011, tendo em vista a diminuição do défice. 
Aqui vão algumas das medidas necessárias 
para travar o défice e aumentar a receita:

- Introdução de portagens no IC19 e na 2ª Circular, as estradas mais movimentadas em Portugal.

- Taxar os carrinhos dos hipermercados - a moedinha ficaria para o Estado.

- Taxar a cerveja consumida nas Queimas-das-Fitas.

- Cobrar entrada de peregrinos em Fátima.

- Imposto suplementar sobre as sandes de coiratos e sandes de torresmos vendidas nas tascas e nas roulottes.

- Imposto suplementar sobre o cozido à portuguesa, tripas à moda do Porto, feijoada à transmontana, rojões à minhota e carne de porco à alentejana nos restaurantes.

- Taxar os traques consoante a sonoridade deles: cada português tem, obrigatoriamente, de adquirir um dispositivo para medir a intensidade dos mesmos.

- Cobrar 1 euro de taxa de permanência diária dos residentes nos cemitérios: os que se manifestarem contra incorrerão em prisão, que poderá ir até à pena de morte.

- Cobrar uma taxa pela participação em manifestações, protestos, greves, etc, 1º de Maio incluído.

- Imposto suplementar sobre a bica... cheia!

Aceitam-se propostas da vossa parte... 
porque o (des)orçamento é de todos nós!

9 comentários:

Joana disse...

Hahaha... olha que faziam um bom dinheiro com a taxa das cervejas da queima-das-fitas.

Beijinhos

Luís Coelho disse...

Por aqui já eles andam há muito tempo
Nós pagamos demais em impostos indirectos. Se não pagassem salários tão altos aos gestores amigos e colocados pela máquina partidária parece-me que depressa se acabaria com o défice.
Isto deixou de ser governo há muito tempo e passou a ser uma roubalheira nacional.

Justine disse...

E o imposto sobre os fumadores que usam isqueiro?? Era só tirar o decreto da gaveta...

Ezul disse...

O que dava, mesmo, mesmo a sério, era se os corruptos pagassem imposto...nem sei onde se guardaria tanto dinheiro! Os cofres enchiam, rebentavam!...

tulipa disse...

Posso dizer-te que estive em Zagreb, Rijeka, Zadar e Trogir, e neste momento estou em SPLIT - na CROACIA.
Como companheiro de mesa, as refeicoes, tenho um Professor universitario de Curitiba, com 76 anos e que conhece quase o mundo todo, estas a imaginar as nossas conversas...viagens e lugares do mundo. Tem sido muito interessante. Neste momento estamos os 2 aqui na internet do hotel...somos parceiros do mundo.
Ui...tantas coisas tem acontecido!
Beijos

Nota - teclado sem acentos!
Tenho fotos maravilhosas...

argumentonio disse...

esquecimento grave é o urgentíssimo imposto sobre as pedras da calçada, sobre a pastilha elástica em taxa progressiva (quanto mais mascada...) e sobre ... não, oh não, as fotos não, please, ninguém se lembre nunca jamais (não confundir com jamé, nada a ver) de cobrar IVA, IRS, IMI, whatever, sobre cada disparozinho, aquela pressão digital que num ápice nos torna donos de um instante, para sempre e todo o sempre, se é que os discos duram para sempre...

;_)))

looking4good disse...

É mais fácil aumentar os impostos sobre tudo que mexe do que diminuir a gigantesca máquina do Estado cheia de lugares para os "boys" (onde os colocariam?).

PS: O Ministro das Finançasd ainda não se lembrou de lançar um imposto Ainda não há imposto sobre os blogs !

dida disse...

Gosto em especial das dos cemitérios - ficariam em dívidas incobráveis para todo o sempre - Ámen!

turbolenta disse...

Também penso que se se cumprisse, integralmente a lei sobre as coimas a aplicar aos donos de todos os cãezinhos deste país,cujos donos, por não querere a sua casinha suja,os levam à rua, sem trela nem açaime para eles despejarem os dejectos em tudo quanto é passeio. Lisboa é uma cagada pegada.E então na Avª de Bernaã é um vê se te avias até o animalzinho de estimação e companhia de um sr ministro e de uma menina da televisão lá vão, apressados, satisfazer as suas reais necessidades. Não sou contra esse acto tão fisiológico comum a pessoas e animais. Sou contra os donos não levarem o saquinho de plástico para depois depositarem os presentes dos seus amados e os depositarem de seguida no contentor.
Há coimas neste sentido...ah pois há....mas não se cumprem.
Isto , acho eu,era uma boa fonte de rendimento para o estado.E mais postos de trabalho porque tinha de haver mais polícia para aplicar as ditas coimas.