terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

ROSA LOBATO FARIA - A CLASSE E O TALENTO DE UMA MULHER SÓ!

"senti-me inundada de uma intrigante luz azul, como se Afonso Sanchez me sorrisse da sua jazida, pisada e repisada por incomparáveis gerações, e dissesse, terminámos a nossa viagem, provámos a flor do sal, chegámos ambos à outra ponta do mar. Foi nesse instante que decidimos morrer!"

Eis porque temos de beber sofregamente os nossos poetas, cantores, actores e demais GENTE GRANDE deste nosso pequeno País... não posso deixar de sentir a dor de ausência que me deixa a partida da Rosa Lobato Faria... resta-me o consolo de poder reler, já com saudade, quase todos os seus livros...

Palavras da admiradora Helena Neves, que também seleccionou o trecho de um livro de Rosa Lobato Faria (em cima)

Rosa Lobato Faria fotografada por mim no lançamento de um livro de Mário Zambujal em 28 de Maio de 2008

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

MÁRIO CRESPO: CENSURA OU FAIT-DIVERS?
Também Mário Crespo foi notícia por estes dias mas por outros motivos: o Jornal de Notícias fez censura a uma crónica que Mário Crespo publica naquele diário do Porto. Mário Crespo é daqueles portugueses que também vai passar ao lado da fama porque outros 'interesses' se levantam... é talvez uma questão de crispação!

Mário Crespo fotografado por mim no lançamento de um livro de Paulo Teixeira Pinto no dia 9 de Outubro de 2008. Como se vê, já Mário Crespo rangia os dentes, parece que adivinhando o que estava para vir

12 comentários:

ematejoca disse...

Surpreendeu-me como também me chocou a morte da Rosa Lobato Faria.

Quanto ao Mário Crespo há provas, que o que ele escreveu está conforme com a verdade????????
O A e o O do jornalismo sério é a veracidade das notícias.
O director de um jornal sério tem a obrigação de só publicar uma notícia existindo provas, que seja verdadeira - provas essas, que o MC não deu!!!!

Olhos Dourados disse...

Estou chocada com a morte dela.

Secreta disse...

Polémicas à parte... posso considerar que Portugal ficou mais pobre...

argumentonio disse...

belas palavras e bela selecção de trecho do romance "A flor do sal", que tão boa companhia pode fazer a quem o queira ler!

a homenagem a Rosa Lobato de Faria é inteiramente justa, pela sua produção de excelente qualidade literária e humana, pela simpatia que irradiava e pelo exemplo de trabalho são, positivo e intemporal

o episódio histriónico de Mário Crespo faz má companhia a tão apreciável Rosa e nada tem a ver com a sensibilidade delicada de uma Mulher construtiva, criativa e crente!

a Rosa Lobato de Faria nunca se ouviu um queixume, baseava-se na prova provada do trabalho feito e bem feito, sob a inspiração arduamente transpirada de quem escreveu o primeiro romance aos 63 anos e se multiplicou em escritas e representações de variados géneros sempre em elevadíssimo nível e excelentes resultados

acreditava nos anjos, certamente os anjos a receberão condignamente e como igual

;_)))

lino disse...

A Rosa permanecerá nos amantes da literatura, das canções e da arte de representar.

Já os Crespos deste mundo não serão lembrados a não ser pelos amigos de ocasião. Há muitas mentiras a pulular por aí: há o exaustivo esclarecimento do director do JN no jornal de hoje; há as declarações do Nuno Santos a dizer que ele mente; há a chegada oportuna do artigo ao ISC; há a colagem mútua ao Moniz e àquela coisa com que ele é casado; há os dirigentes do PS que talvez não sejam tão estúpidos como isso; há o convite oportunista para as jornadas parlamentares do paulinho das feiras...

Abraço

Maria João disse...

Rosa Lobato Faria, um nome, uma obra, alguém que marcou inconfundivelmente a nossa cultura e cujo desaparecimento permaturo nos deixou a todos surpreendidos. Que a sua obra, que a eterniza, seja cada vez mais conhecida e acarinhada por todos nós. Essa será sempre a melhor homenagem!
Sobre Mário Crespo e independentemente da análise da situação em si, que me abstenho de fazer, registo o retorno a atitudes de censura, utilizando muitas vezes estratégias bem subtis de uma hipocrita democracia. Existe por aí, por detrás de muitas máscaras uma nova ditadura tão perigosa como a outra.

Um beijinho

Maria, Simplesmente disse...

Que queres...? Tudo o que é melhor acaba!
Era o único programa que eu ouvia, por gosto, agora é uma maneira de poupar electricidade...
Num País em que tudo o que é bom "vai fora" vai mais este...!
Daqui por pouco tempo não temos bada que preste.
Se achares que com este comentário te fecham o Blogue, amigo, não o publiques, mas eu só sei dizer o que sinto.
Bjs
Maria

Ezul disse...

Pergunto-me por que razão não li ainda qualquer obra desta escritora... Sei que estabeleço prioridades na escolha dos autores e dos livros que leio mas talvez não me tivesse apercebido da sensibilidade e da beleza que reconhecem na sua obra… Apesar disso, a notícia causou-me tristeza, intensificou esse sentimento de melancolia que fica após cada partida, essa sensação de roubarem à Vida o mais belo e o mais puro que existe nas capacidades humanas. Também a Vida devia continuar a “beber” os sorrisos dessa Rosa!
Ontem li uma referência ao livro “O Prenúncio das Águas” e hoje, curiosamente, quando reorganizava as estantes da biblioteca, ali estava ele, a oferecer-me uma história que tenho vindo a procurar nas margens do grande lago. Suponho que seja mesmo assim: há sempre um tempo certo para tudo, até para descobrir certas leituras.
:)

Meg disse...

Sofá Amarelo,

Sobre a "Rosinha" est+a quase tudo dito aqui. Resta-me a sua memória e a sua obra.

Quanto ao M.C. tenho muitas dúvidas e uma certeza... está para sair um livro dele com prefácio de Medina Carreira. É mais que óbvio que o sucesso está assegurado.
Por isso as minhas dúvidas...

Um beijo

Je Vois la Vie en Vert disse...

Uma bela Rosa murchou e nos deixou mas deixou rebentos e botões de rosas para nós. Ficará sempre recordada com carinho.

Beijinhos

Verdinha

Carlos Albuquerque disse...

O desaparecimento de Rosa Lobato de Faria foi uma perda. É o caminhar inexorável da vida! Resta-nos a sua memória.
Quanto a Mário Crespo,chamo a mim as palavras de lino. Editei um post sobre o assunto.
Um abraço!

Cristina disse...

Uma grande perda essa grande mulher, essa flor…mas fica a obra, para a recordar com muito carinho e valor.

Beijos