sexta-feira, 26 de novembro de 2010

'BORA VOLTAR AO COMÉRCIO TRADICIONAL!

"O comércio tradicional de rua há-de voltar um dia às cidades... quando as pessoas estiverem fartas dos centros comerciais!", esta foi a ideia com que se ficou de um seminário subordinado ao tema "É possível regressar ao comércio de rua?", realizado no CIUL da CML em Lisboa.
Um dos oradores foi Augusto Mateus (ao lado), antigo Ministro da Economia, que alertou para o facto de haver zonas nas grandes cidades que estão a ficar literalmente abandonadas e em ruínas, porque "sem comércio não há residentes e sem residentes não há ninguém que mande arranjar os edifícios e as lojas de rua"!


Muita coisa se vai perder irremediavelmente mas como em tudo na vida - excepto a própria vida - as cidades também obedecem a ciclos e é bem possível que uma nova geração pegue no que está mal nas cidades e as transforme para melhor!
E vocês, ainda fazem compras no comércio de rua
e de proximidade? E que tipo de compras?

Fotos d' O Meu Sofá Amarelo algures na cidade de Lisboa

6 comentários:

Lia disse...

Sofá,

cheguei e sentei-me no teu sofá amarelo - pois esta música "Lucky" fez-me ficar(melodia linda de se ouvir e recordar) e depois também me prendeu atenção esta rua - um caminho que fiz cerca de 7 meses ,(tenho fotos dessa mesma montra de fruta) tenho pena que o comércio tradicional tenha perdido com os novos Centros.

Gostei de recuar no tempo .:0)

Beijinhos*

Ana disse...

Olá!
Eu gosto do comercio tradicional, adoro os centros das cidades, as ruas mais antigas, cheias de história, não tem nada a ver com os centros comerciais sempre apinhados e ou muito quentes ou muito frios!
mas gosto de ir ao shopping, de vez em quando, para matar as saudades!
beijinhos

Paulo disse...

Lamento informar, mas o objectivo económico ou ordens dos "bastidores" é que as grandes superficies comerciais prevaleçam, por isso se dá cada vez menos apoio ás PME. Porquê? para além de engrandecer os cofres dos mais abastados detentores de Grupos económicos, interessa e muito controlar os locais onde o povo (gado) vai comer, calçar, e vestir, controlar o que comem é então fundamental, pois assim se pode determinar o que comem.

Claro que deveria ser a esmagadora massa humana a ter o poder de decidir, se estivessem coordenados e unidos, assim por exemplo não desapareceria com o andar dos anos o Comércio Tradicional, mas os grandes grupos económicos que têm fiozinhos de marionetes em todos os dedos dos políticos que têm o poder, não permitirão que isso aconteça, vai ser gradual para não haver revoltas ou que "acordem" mais pessoas.

Fazem como aquela fábula das 2 rãs na panela de água, uma está a ferver e a outra tem agua fria, joga-se as rãs em cada uma das panelas, a que tocar na água a ferver dará um salto para sobreviver, a outra vai ficando por lá enquanto se aquece lentamente a água, ela permanecerá até ficar cozida, pois a lentidão do aquecimento da água vai lhe entorpecendo os sentidos. E assim se faz ao Povo, vai se cozendo lentamente que ele é sereno!

Abraço Amigo e óptimo fim de semana ^^

lino disse...

Por mim, frutas e hortaliças, de vez em quando.
Abraço

Joana disse...

Eu prefiro fazer compras no comercio tradicional e ir ao mercado comprar as frutas e as verduras. Acho que a qualidade dos produtos é melhor e depois existe o atendimento e a interacção que se cria com os vendedores que passam a ser nossos amigos.

Beijinhos

Marta disse...

Eu gosto de passear na Rua Santa Catarina (Porto), onde há, apesar do Centro Comercial, muitas lojas de comércio tradicional...
Ainda há vendedoras ambulantes a vender meias a 5 EUR ou perfumes, estudantes a desenhar, palhaços, músicos...
É o que eu gosto de ver....mas à noite, é uma rua "morta"...
Beijos e abraços
Marta