domingo, 7 de novembro de 2010

Manuel Cintra Ferreira: O HOMEM QUE RESPIRAVA CINEMA

Manuel Cintra Ferreira morreu hoje aos 68 anos. Foi crítico de cinema no Expresso desde meados dos anos 80, programador da SIC e da Cinemateca. Era com certeza o português que mais sabia de cinema. Ele vivia cinema, respirava cinema... só não ouvia cinema porque era muito surdo, o que não o impedia de ser um dicionário vivo da 7ª arte.

Manuel Cintra Ferreira foi das primeiras pessoas que conheci quando entrei no Expresso há cerca de 20 anos! As nossas conversas eram profícuas: naquele tempo ele ia entregar os textos em papel à dactilógrafa da Cultura e muitas vezes ficávamos à conversa, entre gestos, palavras ditas em voz muito alta e outras vezes apenas pela intuição...

Os filmes preferidos de Manuel Cintra Ferreira eram os de John Ford, em especial "A Desaparecida". No entanto, como bom cinéfilo, via todos os filmes e sabia inclusive quando tinham estreado nos países de origem e em Portugal.
As imagens de cima são de um filme de 1955, "It came from Beneath the Sea" (clicar), a história de um polvo gigante que invadiu e destruiu a cidade de São Francisco nos EUA. Vi este filme uma vez há muitos anos na casa dos meus avós paternos e na altura impressionou-me muito, não só por ser muito novo ainda , como o meu pai e os meus avós ficaram presos ao filme como se estivessem a ver uma fita digna de Oscar. Mas não: o filme não tinha grandes actores (Kenneth Tobey e Faith Domerque) na altura. Tinha outros que fariam história no cinema e na TV muitos anos mais tarde (Leonard Nimoy, Ray Bradbury e Tom Hanks) e os realizadores também não eram dos mais famosos (Richard Schickel e Robert Gordon).
Um dia pedi-lhe se ele me encontrava o filme para eu fazer uma cópia já que na altura nem na Amazon se vendia. No dia seguinte ele chegou-me com um original já em DVD da sua própria colecção e não se importou que eu ficasse com o filme durante umas semanas até eu conseguir converter a versão americana para a europeia.
Na verdade o filme do polvo gigante que destruía São Francisco e a Golden Gate Bridge não merecia tanto trabalho pois não é grande coisa, mas valeu pelo contacto próximo com o Sr. Cinema. A vida dele não dava um filme, a vida dele foi um filme, não, foram muitos filmes, foram todos os filmes! Até já, Cintra Ferreira, vou ali ao cinema, não demoro...

8 comentários:

Anónimo disse...

Olá sofá.
Sabes penso que os homens bons não morrem!
A esta hora o senhor cinema estará algures sentado numa nuvem a ver o melhor cinema do mundo...
E sim ! tambem deve estar no meio das estrelas :)
Bom cinema homem bom:)

Play time

Joana disse...

Olá!

Ofereci-te o prémio "Dardos" no meu blog.

Beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Vamos pensar que ele foi apenas para outra cena...

Vanessa Souza Moraes disse...

Lamento.

Maria João disse...

Pois é... grandes são os homens, tantos, cuja obra e vida desconhecemos. Acredito que, quando partem, deixam no ar o aroma do que foram e do que fizeram se houver alguém que eternize a sua memória.

Quando fores ao cinema, talvez ele também vá, dentro de ti, em pensamento....

Beijinhos

lino disse...

Uma bela homenagem!
Abraço

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Os bons partem antes do tempo :(

Ana disse...

Olá!
Mais uma grande perda para o nosso país...
Beijinhos