sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Dia Internacional de Pessoas com Deficiência

Há pessoas com deficiência que poderiam ser muito úteis à sociedade assim não houvessem tantos preconceitos... como as pessoas ditas normais têm vocações, também as pessoas com deficiência podem fazer determinadas coisas muito bem feitas, assim lhes dessem oportunidades para isso em vez de os fecharem numa caixa de "coitadinhos"...


5 comentários:

lino disse...

Os deficientes são cada vez mais postos à margem e muitíssimos não deficientes também. Dizem que é o mercado e o povo aceita.
Abraço

Anónimo disse...

olá sofá cor de sol pintado por crianças ( hoje prefiro chamar-te assim :))
O tema "deficiente" é uma forma de chamar a atenção para os vários racismos que incorporamos.Esta é de facto uma das tantas maneiras subtis de manifestar o racismo dos "não deficientes". Nós vivemos numa sociedade fundada na base do pensamento de que somos todos "normais"(menos os deficientes claro), de que não temos limitações .E será isto verdade? Se calhar também fazemos parte da caixinha dos "coitadinhos" de outras classes sociais. Será que sabemos?
Somos todos válidos e temos todos limitações uns mais que outros. É uma questão de lutarmos por uma sociedade mais igualitária (ou menos racista) neste caso concreto estamos a falar do racismo dos "eficientes" dos "normais".
Olha sofá não sei se me fiz entender mas o que quero de facto dizer é não concordo nada com as diferenças sejam elas quais forem.

Play time
Sim

Pedrasnuas disse...

LAMENTAVELMENTE AINDA HÁ QUEM PENSE COMO NA PRÉ-HISTÓRIA...O MUNDO MUDOU,AS MENTALIDADES TAMBÉM...É TEMPO QUE PERCEBER QUE AS PESSOAS COM LIMITAÇÕES SÃO TÃO CAPAZES OU MAIS QUE CERTAS "NORMAIS".

Justine disse...

Quando os preconceitos forem ultrapassados, quando os governos tiverem vontade politíca para criar condições...
Bom fds:))

Ana disse...

Olá!
Vivemos numa sociedade muito preconceituosa onde todos os que são diferentes são postos de parte para não "incomodarem". Neste campo ainda há muito caminho a percorrer, infelizmente.
beijinhos