domingo, 5 de dezembro de 2010

O TIO CHICO FAZ ANOS HOJE!

O meu tio Chico para mim é o tio da terra, não só da terra terra (como se vê na foto) mas da terra, da terra da minha mãe, das Galveias, do tempo em que eu e os meus primos passávamos lá parte das férias grandes entre hortas, regas, banhos no tanque das regas, frutos nas árvores, boa comidinha e muito melhor descanso!
Era no tempo em que os lençóis das camas eram de linho tosco e os cobertores de lã grosseira. Como o chão era de pedra fria, no Inverno o tio Chico arranjava pedaços enormes de cortiça que serviam de tapetes para pôr os pés quando nos levantávamos da cama.
Agora - e mais no Verão - continuo lá a ficar algumas noites em casa do tio Chico mas muita coisa mudou... o que não mudou ainda é a horta biológica do tio Chico, sempre com o verde viçoso e as alfaces, couves, feijão, cebolas, coentros, poejos à mão de... semear! Neste caso, de colher!
Muitos anos dure a horta do tio Chico! Parabéns a quem da terra tão bem sabe cuidar!

11 comentários:

Joana disse...

Eu adoro lençóis de linho! :D
Parabéns ao tio Chico.

Beijinhos

Mulher disse...

Tao giro o tio Chico!!!!!
Gostava de ser eu a dar lhe os parabens, mas, aqui ficam com desejos muito sinceros de anos de vida com muita saude.Uma simpatia.Bjinhos.

Maria João disse...

A"Horta" do teu tio Chico...
a obra, na arte de saber da imensa fortuna que a terra pode dar, se lhe dermos; valor, simplicidade, amor, trabalho e dedicação.

Preciosidades....

Espero que se mantenham por muitos e muitos anos!

Beijinhos para os dois

tulipa disse...

PARABÉNS ao Tio Chico.

Hoje estou "encurralada" num quarto de Hotel no Fundão, furiosa com o estúpido dia que aqui passei. Vim eu fazer mais de 300km para ver lugares que não conheço e o tempo metereológico não ajudou nada...que raiva!!! Nem uma foto consegui fazer, com esta chuva forte e a neblina que se instalou.
Felizmente trouxe comigo o portátil e cá estou "ligada" ao resto do mundo.
Boa semana. Beijos

De uma outra forma vou dizer o que hoje sinto:

Casas há que habitam o meu subconsciente
Hoje estavam mesmo à frente
dos meus olhos
parei o carro e admirei-as

Aldeia histórica de Castelo Novo
ali estavam elas, lindas
quis captá-las com
a objectiva da máquina
os meus segundos olhos
mas...a chuva não permitiu
que raiva!!!

A neblina e a chuva
são os elementos que "hoje"
ilustram a paisagem.
...
e, a minha alma chora!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Sofá Amarelo,

Que bom voltar a ver-te no meu espaço verde ! Que bom eu voltar a sentar-me no teu sofá confortável e deliciar-me com as tuas fotos. Que bom teres um tio que trata tão bem da sua horta biológica. Gostava muito de lhe comprar umas alfacinhas bem verdinhas.

Muitos parabéns ao teu Tio Chico ! Que possa tratar ainda do seu quintal durante longos anos, é o meu desejo ! e que possas o ver fazer isso também !

Beijinhos
Verdinha

lino disse...

Que o tio Chico conte muitos e de boa saúde!
Abraço

Anónimo disse...

olá sofá cor de sol,
não posso deixar de dizer viva o tio Chico que é um homem livre; livre porque pode reflectir sobre si mesmo enquanto apanha o sol na cara e apanha as couves, livre porque não sofre a sofocante disciplina de 4 paredes sofocantes de um escritório, livre porque não tem de estar acorrentado ao faceboock para falar com amigos que não conhece, livre porque pode ver os olhos dos amigos enquanto fala, livre porque tem a liberdade de parar a apanhar chuva, sentir os pingos abraçarem o corpo quentinho ,Sem ter 200 desconhecidos atrás dele a empurrarem para que se mexa e a pensarem "que louco", livre de cliches a que todos já tomamos como um cumprimento...
Viva o tio chico que é um homem livre:)

Beijinho tio chico espero que coma um bom bolo caseiro (daqueles que nós nem imaginamos poder ainda existir)

Play time

Ana disse...

Parabéns ao tio Chico!!
Beijinhos

Lia disse...

Parabéns ao Tio Chico!
:0)

argumentonio disse...

ganda tiozão!

a Terra a quem a trabalha!!

e que reminiscências dessa vivência ecológica antes de se falar em ecologia, em que a infância era infância e a alegria constitutiva do pão nosso de cada dia que a muitos deixou o apego e a sensibilidade à natureza, aos ciclos telúricos, às forças matriciais que se alimentam da harmonia dos seres mais que dos pareceres!!!

;_)))

Justine disse...

As nossas raízes verdadeiras: a terra e quem a ama e cuida!
Muito mudou, como dizes. Mas não mudou a nossa necessidade dessa ligação telúrica!
Muitos anos de vida para os nossos tios Chicos:)))