domingo, 19 de dezembro de 2010

A HIPOCRISIA QUE É A INDÚSTRIA DA POBREZA EM PORTUGAL


"Os pobres não precisam falar, basta olharem
para o seu próprio reflexo!" (Play Time)


Que país é este onde até os cegos e os deficientes
têm que pedir esmola para (sobre)viver?

Nos últimos anos a pobreza tornou-se numa verdadeira indústria em Portugal, em parte gerida por senhoras que se cumprimentam entre si e os seus apenas com um beijo na face. Mas, mal por mal ainda bem que há quem tenha tempo para atenuar ou disfarçar o (muito) mal dos outros!
Hipocrisia mesmo - e da pior! - é alguém vir falar de pobreza travestido com roupa comprada nas lojas mais caras das ruas mais caras das cidades mais caras! E exibir adereços - como gravatas - cuja unidade daria para alimentar várias famílias durante vários dias!

Hipocrisia também é o facto de todos falarem sobre pobreza - políticos, pseudo-políticos, autarcas, gestores, senhoras e senhores à frente das instituições ditas de caridade, etc, etc - e não deixarem espaço para falarem aqueles que realmente são pobres, aqueles que quase já nem dignidade podem ter, aqueles que não sabem quando terão a próxima (nem refeição se pode chamar) benesse de uma sociedade que até a fome alheia é capaz de transformar em negócio!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

"hipocrisia, meu caro, a hipocrisia!
Como ela se assenhorou da vida!
Reina em absoluto.
Gostaria, como tu, estou certo, que se desse voz:
- aos que têm o relento por tecto;
- aos que como uma côdea de pão ressequido enganam a fome;
- aos que enxugam as lágrimas com o desespero da falta de esperança;
- aos que da vida mais não têm do que a certeza
de uma finitude amarga e de dor mordente."
por
de Carlos Albuquerque

9 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Venho de uma longa ausência, mas chego, dizendo estar de acordo com o que escreveste!
A hipocrisia, meu caro, a hipocrisia!
Como ela se assenhorou da vida!
Reina em absoluto.
Gostaria, como tu, estou certo, que se desse voz:
- aos que têm o relento por tecto;
- aos que como uma côdea de pão ressequido enganam a fome;
- aos que enxugam as lágrimas com o desespero da falta de esperança;
- aos que da vida mais não têm do que a certeza de uma finitude amarga e de dor mordente.
O que aqui hoje me trouxe foi a vontade de te dar um abraço, desejando-te um BOM NATAL.
Tudo de bom para ti.


-

lino disse...

Andam a brincar à caridadezinha!
Abraço

Luís Coelho disse...

Não vens pôr os dedos nas feridas
Nem te atreves a escondê-las
Reabres as chagas maiores
Espalhas o sangue nelas
Revives as coisas piores.

Feliz Natal.
Que em cada chaga renasça uma flor
Bom ano novo
Que em cada flor renasça o amor.

Joana disse...

Há tanta gente a viver às custas da pobreza dos outros que até mete nojo. É por isso que eu "apenas" ajudo aqueles que têm dificuldades e que estão mais próximos de mim.

Beijinhos

Marta disse...

Como sempre, uma história forte...
Como diz um sem-abrigo num artigo publicado num jornal "Lembram-se de nós quando há uma vaga de frio"...
Mas a ajuda tem que ser diária, não é????
Beijos e abraços
Marta

Mulher disse...

Concordando absolutamente com o que está escrito desejo uma boa semana.Bjinho.

Play time disse...

O pais vai fechar, e nós ainda não demos por isso!

Play time

Maria João disse...

Hipocrisia...

Havia tanto para dizer, meu amigo...

mas essa é a sementeira que mais fruto tem dado por esse mundo fora... infelizmente!

Beijinhos

Ana disse...

Uma grande hipocrisia! Se todos fizéssemos uma pequena parte era tudo mais fácil...
Beijinhos