sábado, 11 de dezembro de 2010

MANUEL ALEGRE PODERÁ (e quanto a mim, deveria!) DESISTIR DAS PRESIDENCIAIS!

Muito provavelmente Manuel Alegre não é Presidente da República porque não foi apoiado pelo PS nas últimas eleições presidenciais. Na altura, Alegre tinha todo o cenário a seu favor, não fora a entrada de Mário Soares na corrida presidencial. Passados 5 anos tudo se alterou e Manuel Alegre aparece numa disputa eleitoral que já não é para ele (e isto nada tem a ver com a idade): apoiado por dois partidos diferentes, ou melhor (des)apoiado pelo seu próprio partido - PS - tudo indica que Manuel Alegre conhecerá uma das maiores derrotas da sua vida política, o que é pena!
Por isso - e no meu entender - Manuel Alegre deveria anunciar a sua desistência à corrida presidencial: seria uma maneira airosa de sair de cena e deixar o PS com uma batata quente (bom, morna!) na mão! Mas, por outro lado, anunciar agora, já, também poderia ser um belo presente de Natal para o PS. E quando digo belo, seria mesmo belo, pois para o PS a desistência de Alegre cairia que nem - como se costuma dizer - ginjas!
Por tudo isto, e Alegre se fez triste...
se continuar na corrida presidencial!
Manuel Alegre não merece ser humilhado pelos seus!

4 comentários:

tulipa disse...

MEU AMIGO

Lá diz o ditado: "Não há fome que não dê em fartura".

Tenho feito posts com mais de 1 semana de intervalo, mas...hoje, só hoje fiz 3 posts seguidos.
Tudo tem a ver com o "Momento" CINEMA e, em parte com o filme que fui ontem ver.
Daí que só é permitida a publicação de comentários, num deles; tem a sua lógica.

Bom fim de semana.

argumentonio disse...

sim, muitos reclamam a desistência de Alegre, que felizmente resiste, como o vento não cala a desgraça

sobre as derrotas, perguntemos também ao vento, e há derrotas bem mais honrosas que certas vitórias: quem concorreu contra o Hitler, como os que se bateram contra o Carmona ou o Tomás, teve porventura a maior derrota da sua carreira política

e pur si muove

na anterior candidatura, pelo contrário, tudo era cenário desfavorável a Alegre, com Mário Soares e o PS em mútua instrumentalização para eleger Cavaco à primeira, aliás in extremis - uma decimazinha a menos e a segunda volta poderia trazer outra consciência e diversa conjugação

desta vez, é-lhe ainda mais desfavorável o cenário, atenta a óbvia e praticamente insuperável tradição de reeleição do Presidente instalado, em eficiente articulação com os cinco anos de campanha eleitoral que o Cavaco faz questão de gerir até à última: ainda nem entregou os papéis para continuar a furtar-se a debate e beneficiar ilegitimamente dos meios do Estado para a sua campanha pessoal

é pois natural que continuemos a assistir à celebração do dia da raça por mais 5 anos

mas não há machado que corte a raiz ao pensamento, por mais enraizado que esteja o cinismo nas agendas partidárias, por interpostos Nobre, Defensor e Lopes, garantindo a divisão da esquerda para reeleger o candidato único da direita

mas desistir não vem no dicionário de quem resiste e persiste porque na poesia e no coração tem a razão que lhe assiste!

;_)))

Maria João disse...

Não, realmente não relaciono com a idade, mas sinto-o fora de tempo!

Concordo contigo!

Um beijinho

Ana disse...

Olá!
Já não se percebe nada, infelizmente Manuel Algere partiu para a ofensa, o que não abona a seu favor!
Dizem que pensam muito no país mas pensam mais neles...
Beijinhos